Por George Guimarães, de Dourado (SP)

A Volvo lançou nesta quinta-feira, 17, a segunda geração do SUV XC 60 no Brasil. O modelo agora é montado sobre nova plataforma modular derivada de seu irmão maior, o XC 90, e por conta disso ganhou em proporções, recursos e confortos não disponíveis na geração anterior, responsável pela maioria das vendas da marca premium sueca aqui.

Dos pouco mais de 3,4 mil veículos Volvo vendidos no Brasil no ano passado, perto de 2,5 mil unidades foram do antigo XC 60. Luiz Rezende, presidente da Volvo Cars, projeta número semelhante médio para a nova geração já em seu primeiro ano de venda. Até dezembro de 2017, porém, devem ser negociados algo como 1 mil unidades, estima o executivo.

Duzentas delas já estão asseguradas e foram reservadas em pré-venda que se encerrará no fim de agosto. Até lá o consumidor pode comprar o SUV de luxo em suas três versões – Momentum, Inscription e R-Design – pelos preços promocionais de, respectivamente, R$ 235.950,00, R$ 256.950,00 e R$ 266.950,00. Já no primeiro dia do mês que vem esses valores serão majorados em R$ 4 mil no caso da versão de entrada Momentum e R$ 3 mil nas duas outras.

A diferenciar as três versões apenas itens de acabamento e estéticos, e poucos recursos técnicos e de segurança presentes na intermediária e topo de gama, mas já fartos na versão de entrada. Sob o capô o mesmo motor quatro cilindros a gasolina 2.0 turbo de 254 cavalos, 9 cv a mais do que o da primeira geração.  João Oliveira, diretor comercial da marca, calcula o mix inicial de vendas da ordem de 40% para a Momentum e de 30% e 30% para as duas outras.

Anúncio

 

Mesmo se vender o volume anual projetado pelo presidente da marca e reconquistar a liderança do segmento, um dos objetivos reforçados pela diretoria da empresa em sua apresentação,  o XC 60, que já acumula 18 mil unidades negociadas em sua primeira geração, verá sua fatia de participação encolher no total de vendas da Volvo no Brasil – e mesmo com confirmada chegada das versões a diesel e híbrida no transcorrer do ano que vem.

Isso porque Rezende também confirma que trará para o Brasil o XC40, SUV menor e naturalmente mais barato e de maior potencial de vendas. A aposta nesse futuro utilitário esportivo é tanta que, se o executivo espera fechar 2017 com 3,7 mil veículos vendidos, para 2018 fala em  nada menos do que 6 mil unidades, um salto brutal  no fluxo de clientes das 29 revendas da marca.


Fotos: Divulgação/ Volvo