Por George Guimarães

Se agosto trouxe boas novas para o  setor,  para algumas empresas nada mudou. Felizmente, para o board da montadora em São Caetano do Sul (SP), é o caso da General Motors. Há tempos a sua marca Chevrolet só vê as concorrentes pelo retrovisor quando o assunto é vendas ao mercado interno e no mês passado não foi diferente.

A  Chevrolet continua tranquila no ranking das marcas mais vendidas após o oitavo mês do ano e até aumentou a diferença para a segunda colocada. Só em agosto, a General Motors negociou 38,3 mil veículos, equivalentes a 18% do mercado de automóveis e comerciais leves. A Fiat veio bem atrás, com 29,3 mil veículos e 14% de participação, já com um bom empurrão do hatch Argo, ainda novidade para a maioria dos consumidores e que registrou quase 4,1 mil unidades emplacadas.

A Volkswagen também permaneceu na terceira posição, com 26,2 mil emplacamentos, número equivalente a 12,5% do mercado. A montadora alemã ficou à frente da Hyundai, marca que vai se consolidando como nova integrante no grupo das  “Quatro Grandes” e que fechou o mês com pouco mais de 20 mil licenciamentos.

A disputa pelo quinto posto no mês chama a atenção pelo equilíbrio. Apenas 99 veículos separaram a Ford, com 18.549 unidades, da Toyota, 18.450 licenciamentos.  Em números redondos, ambas fecharam agosto com 8,8% de participação, apenas 1 ponto porcentual a mais do que a Renault, sétima colocada, que  negociou 16,4 mil veículos,  2,9 mil deles do modelo Kwid, novo carro de entrada da marca e a grande aposta da Renault para galgar mais um ou dois postos no ranking brasileiro.

Anúncio

E o que os carros da Citroën e da Mercedes-Benz têm em comum?  Muito pouca coisa, a não ser a origem europeia, dirão alguns.  Mas quando se trata de vendas no Brasil, eles têm desempenho muito parecidos. A luxuosa marca alemã fechou agosto com 1,5 mil veículos licenciados, 0,7% de participação e apenas quatrocentas unidades a menos do que a marca francesa, detentora de apenas 0,9% do mercado. Foram a décima-terceira e décima-quarta colocadas.

A co-irmã da Citroën, a Peugeot, décima-primeira no ranking, não  teve  resultados muito mais expressivos. Os 2,7 mil emplacamentos no mês representaram somente 1,3% do total.  Somadas suas duas marcas, as vendas da PSA no Brasil  ficaram em 2,2% , praticamente a metade  da novata Jeep, que registrou 8,8 mil licenciamentos, 4,2% de participação, e foi a nona marca mais vendida.

Índice de Satisfação Geral com Serviços Pós-Venda

MARCAPontuação
Hyundai CAOA 830
Mitsubishi 817
Toyota 817
Honda 812
Hyundai 806
Kia 806
Citröen 804
Chevrolet 801
Jeep 801
Nissan 796
Média do setor 791
Fiat 790
Fonte: Estudo Customer Service Index (CSI) Study Brasil 2017