Balanço de vendas de veículos comerciais divulgado pela Acea, associação que reúne as fabricantes de veículos na Europa, na quinta-feira, 23, traduz parte do desaquecimento da economia do continente provocado pela pandemia da covid-19.

Nos primeiros meses do ano, a demanda por vans, caminhões e ônibus encolheu 35,3% com 910,2 mil veículos entregues ante 1,4 milhão registrado no mesmo período do ano passado.

Somente em junho, apesar de apontar melhoras em relação aos meses de abril e maio, conforme menciona relatório da Acea, o volume de veículos negociados chegou 203,9 mil contra 265 mil anotados um ano antes, uma variação negativa de 23,1%.

Todos os principais mercados do continente encerraram o semestre com baixas acentuadas de dois dígitos. No maior deles, a Alemanha, a queda foi de 28,6%, com 152 mil unidades vendidas. Na França, o recuou chegou a 32%, (197 mil); na Espanha, tombo de 44,8% (72 mil); na Itália, declínio de 35,4% (72,3 mil); e no Reino Unido, retração de 45,4% (127 mil).

Anúncio

Vans, caminhões e ônibus

Por categoria, as vendas de vans até 3,5 toneladas acumularam 758,1 mil registros, volume 23,1% inferior ao anotado nos seis primeiros meses do ano passado, de 1,1 milhão de unidades.

No mercado de caminhões na faixa de 3,5 até 16 toneladas a demanda do primeiro semestre recuou 42,8%, com 136,5 mil veículos entregues contra 238,5 mil registrados um ano antes. As vendas na categoria acima de 16 toneladas, que reúne os pesados e para longas distâncias, acumularam de janeiro a junho 107,5 mil unidades, baixa de 44,7% na mesma base de comparação.

No segmento de ônibus, o mercado absorveu no primeiro semestre 15,5 mil unidades, volume 35% menor relação ao registrado nos seis primeiros meses do ano passado, de 23,8 mil unidades.

LEIA MAIS

→Vendas de veículos comerciais na Europa recuam 48% em maio