A linha de caminhões Delivery da Volkswagen Caminhões e Ônibus ganhou seis novos integrantes, resultados de um projeto que demandou cinco anos de desenvolvimento e investimento de R$ 1 bilhão. Na inédita gama, o Delivery Express coloca a montadora na disputa do segmento de comerciais leves, e o 4.150, na de semileves, categorias nas quais a fabricante até agora não atuava.

“Entregaremos um conceito inédito no segmento, no qual o cliente frequentemente opta por uma picape ou por um veículo baseado em vans”, avalia Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e pós-venda para a América latina. “Agora, ofereceremos um produto com características de caminhão, com cabine avançada, 2 metros de largura interna, mas sem abdicar da versatilidade de um comercial leve.”

Segundo Alouche, o Express foi a principal razão de o projeto existir, internamente denominado Phevos. “O alto investimento não justificava o desenvolvimento de um único modelo, daí o nascimento de uma nova família.”

Anúncio

Além dos representantes da categoria de semileves, completa a nova linha o 6.160, o 9.170, o 11.180 e o 13.180, abrangendo faixa de 3,5 a 13 tonadas de PBT, Peso Bruto Total. Todos os modelos trazem motor Cummins com potências de 150 a 180 cv com tecnologia SCR, com exceção do Express, dotado de sistema EGR. Com a chegada da nova gama, a Volkswagen Caminhões e Ônibus passa a ter onze opções da família Delivery no portfólio.

Os novos caminhões custam de 7% a 10% a mais em relação à linha Delivery atual, que permanece em produção. Os valores ainda não estão definidos para toda a gama, mas no caso do Express, o veículo com capacidade de carga líquida de 1 tonelada partirá de R$ 188.000. A fim de ter mais argumentos para o comprador, a fabricante também ofertará os modelos semileves com implemento original de fábrica, em duas versões: carga-seca e baú.


Fotos: Divulgação/MAN