Por Lael Costa

Ao comemorar 60 anos da produção do seu primeiro caminhão nacional, um F-600 saído da linha de montagem da antiga fábrica do Ipiranga, a Ford Caminhões leva para Fenatran (de 16 a 20 de outubro no São Paulo), o Cargo Connect, um protótipo que tanto marca a evolução dos produtos da marca ao longo das seis décadas quanto antecipa suas ofertas para o mercado.

O modelo, baseado em um Cargo 2429 8×2, reúne os mais recentes avanços da eletrônica e da telemetria para tornar as operações de transportes de carga mais eficientes, seguras e produtivas. Os recursos, muitas vezes vistos somente em mercados maduros ou em veículos mais sofisticados, passarão a ser realidade nos caminhões da Ford. O plano da marca será focar as futuras ofertas os segmentos de caminhões leves e médios para atender caminhoneiros autônomos e pequenos frotistas, público com menos acesso às inovações que facilitam o dia a dia.

Desenvolvido em parceria com Cummins, Bosch e Autotrac, o protótipo traz sistemas já bem conhecidos e já disponíveis por muitas fabricantes, como sistema de autônomo de frenagem, alerta de ponto cego, assistente de permanência na faixa de rolagem, alerta de fadiga e sistema adaptativo de velocidade em relação ao veículo que vai à frente.

Mas também traz ferramentas ainda inéditas que contribuem com mais eficiência operacional, casos do ajuste automático da potência e do torque do motor em função do peso carregado e da topografia, gerenciamento da carga em tempo real, (garante a distribuição correta da carga sobre o chassi, além comprovação do volume transportado) e sistema de diagnóstico de falhas preditivo, avisando o motorista a respeito do estado dos componentes do veículo para programar manutenção antes da ocorrência de qualquer problema.

Anúncio

O modelo protótipo da Ford está muito mais para a realidade de hoje do que para um amanhã distante. “O cliente vai nos dizer, conforme sua necessidade, o que colocaremos à disposição do mercado”, revela João Pimentel, diretor de operações de caminhões da Ford para a América do Sul. “O pacote não deverá vir de uma vez só, mas seus itens nele disponíveis podem ser lançados entre 3 meses e 3 anos.”

Boné contra sono – Ao mesmo tempo em que pavimenta seu caminho para a era da conectividade, a Ford Caminhões também avança com desenvolvimento de dispositivos de segurança inovadores. Há mais de oito meses a montadora testa com auxílio de motoristas o que chamou de Boné Alerta, à primeira vista um boné comum, mas equipado com sensores que interpretam os movimentos de cabeça. Ao identificar sonolência, a popular “pescada”, o acessório emite alertas sonoros, visuais e vibratórios.

De acordo com Pimentel, o boné faz parte do pacote da tecnologia e serviços da Ford. “A ideia também é mostrar que a empresa se preocupa com o motorista e seu entorno, além do esforço de evitar o cansaço, um dos maiores causadores de acidentes.”

A Ford adianta que o boné é um protótipo e se encontra em fase de testes, com vistas ao processo seguinte de patenteamento e certificação. Não há planos para a sua produção e comercialização no curto e médio prazo.


Foto: Ford Caminhões/Divulgação