Por Alzira Rodrigues

Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo

O baixo estoque dos modelos mais procurados nas redes de concessionárias, provocado principalmente pela mudança da linha 2017 para 2018, prejudicou o mercado de motos em setembro. “Se não houvesse falta de produtos poderíamos até ter crescido”, disse na terça-feira, 10, o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

O estoque físicos nas redes do setor caíram de 25 para 17 dias de venda entre junho e setembro, e hoje equivale a menos da metade de um ano atrás, quando estava em 38 dias. Um dos problemas, segundo Fermanian, é a falta de peças: “Os fornecedores estão com dificuldade de fazer as entregas este ano. Só deve haver uma normalização no começo do ano que vem. Daí os volumes serão maiores”.

Anúncio

Responsável por 80% do mercado, a Honda é uma das fabricantes que reduziu a produção da linha 2017 para evitar estoques quando chegasse a linha 2018. As mudanças na nova linha serão mais significativas do que as verificadas em anos anteriores, sem o proporcional repasse para os preços. Por isso a empresa preferiu não correr o risco de ter estoque da linha antiga que pudesse ficar encalhado na rede.

Diante desse quadro e do desempenho negativo de setembro, a Abraciclo reviu para baixo suas metas para este ano. Contra a previsão de um leve crescimento de 2,5% na produção, estima agora pequena queda, de menos de 1%, projetando a fabricação de 885 mil motos no ano, ante total de 887,6 em 2016.

A previsão das venda no atacado, agora, é de 813 mil unidades, 5,4% a menos do que no ano passado. Antes, projetava-se queda de 4%. As vendas no varejo devem alcançar perto de 860 mil emplacamentos, retração de 4,4%, ante estimativa anterior de queda de 1,1%.

Em setembro foram produzidas 76,7 mil motos, recuou de 4,4% sobre agosto e de 4,8% em relação ao mesmo mês de 2016. As vendas no atacado ficaram em 63,4 mil unidades, recuo de 12,8% e de 11,7% nos mesmos comparativos.
O que vai bem este ano são as exportações. Com total de 11,2 mil motos embarcadas em setembro, houve alta de 160,8% sobre o mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano as exportações superaram 59,2 mil unidades, volume 35,4% superior aos 43,7 mil embarques registrados no mesmo período de 2016.


Foto: Divulgação/Honda