Por Redação

O Complexo Industrial na Nissan, em Resende (RJ), acaba de alcançar a marca de 20 mil veículos exportados. As remessas, iniciadas em março de 2016 ainda como projeto piloto, se transformaram em embarques em série em agosto. Em abril deste ano, a fabricante contabilizou as primeiras 10 mil unidades e, bastou seis meses, para acumular outras 10 mil.

A fabricante abastece oito países da América Latina com March e Versa produzidos na unidade fabril sul-fluminense: Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai. A versão sedã representa em torno de 57% dos veículos produzidos para exportação e a Argentina é o maior comprador, ficando com cerca de 44% do volume embarcado.

Para ter capacidade de atender as crescentes demandas dos mercados externos, desde de julho a fábrica de Resende opera em dois turnos de produção, além de ter admitido mais 600 funcionários.

Anúncio

Segundo Sérgio Casillas, diretor de operações de manufatura da Nissan do Brasil, as remessas da montadora cumprem papel estratégico no desenvolvimento da marca no mercado latino-americano. “Quando iniciamos o projeto de exportações, sabíamos que a demanda da América Latina estava em crescimento. Nos preparamos para isso e queremos transformar Resende num polo de exportação ainda mais poderoso.”

A fábrica agora se prepara para o próximo passo do projeto: a produção do crossover Nissan Kicks para o mercado exterior. A planta está nos ajustes finais para começar a enviar à América Latina o modelo global, produzido no País desde maio deste ano.


Foto: Nissan/Divulgação