Joel Leite

“O Vitão é poderoso, serve para trabalhar e para passear.” A frase bem humorada do seu Armando Góes saiu de pronto quando eu disse o nome do carro que estava sendo avaliado. Passeando num parque na cidade de Salto, interior paulista, o motorista profissional ficou entusiasmado com a van Vito Tourer da Mercedes-Benz, versão Luxo, para oito pessoas.

“É um carro para rodar sem parar: dia de semana no trabalho e fim de semana levando a família para passear”, resumiu, como que parafraseando o marketing da montadora:

“O Vito é um veículo versátil, com ampla disponibilidade para operar nas mais diversas aplicações a qualquer hora e em qualquer lugar. Isso porque pode circular livremente, com muita agilidade, e também ser dirigido por motoristas com carteira de habilitação da categoria ‘B’. Dessa forma, assegura sempre a máxima rentabilidade, com a qualidade já conhecida das vans Mercedes-Benz”, argumenta por sua vez Carlos Garcia, gerente de vendas e marketing de vans da empresa.

Com 3.050 kg de peso total, o Vito surpreende pelo excelente desempenho do motor 119 turbo flex, com boa retomada em qualquer situação: em baixa ou alta velocidade e uma boa velocidade final. Para completar, o câmbio manual de seis velocidades é eficiente, confortável para dirigir porque o motor responde bem em qualquer marcha e torna o carro muito econômico na estrada. A estabilidade é outro item a ser destacado: o Vito mantém a linha mesmo em alta velocidade, passando uma boa sensação de segurança.

O espaço interno é uma alegria, proporciona uma viagem divertida com toda a família. Mas os bancos não são poltronas de primeira classe como em algumas vans de luxo: os passageiros, principalmente os da última fileira, sofrem com os sacolejos de uma suspensão dura.

O Vito 119 tem motor turbo flex 2.0 de 4 cilindros de 184 cv de potência e é oferecido em duas versões: Comfort 8+1 (oito passageiros mais o motorista) com ar condicionado frontal e traseiro, e Luxo 7+1, a versão avaliada, que traz assentos de courino com inclinação individual, volante multifuncional, farol de neblina, parachoque na cor do veículo e rodas de alumínio, entre outros itens de série. Tem ainda a versão furgão, equipada com motor turbo diesel 1.6 de 4 cilindros e 114 cv de potência.

Anúncio

Na versão para passageiros, seria bem vinda uma porta lateral corrediça do lado esquerdo, o que permitiria o embarque e desembarque de maneira mais prática e segura em qualquer lado da rua. A tampa do porta mala é grandalhona e pesada; poderia abrir lateralmente em duas folhas e faltou também um sensor de estacionamento, essencial para um carro deste tamanho.

O Vito tem de série assistente de monitoramento de cansaço, assistente de partida em rampa, assistente de vento lateral, a mais moderna versão do Programa Eletrônico de Estabilidade exclusivo da Mercedes-Benz, o ESP Adaptativo 9.1i (que reúne ABS, ASR, BAS e EBV) e luzes de freio adaptativas na traseira que sinalizam uma frenagem de emergência para o motorista do carro que vem atrás.

Airbag para motorista e acompanhantes, cinto de segurança de três pontos, fixações Isofix para cadeiras de crianças, estrutura inteligente com amplas zonas de deformação controlada, estrutura monobloco que garante menor deformação do veículo em caso de acidente e célula de sobrevivência.

• Na Europa, a versão elétrica

Como avanço da proposta de oferecer todas as suas linhas de veículos comerciais leves com motor elétrico, a Mercedes-Benz anunciou que começa a vender no segundo semestre de 2018 o Vito elétrico, chamado eVito. “Estamos convencidos da necessidade da propulsão elétrica em nossos veículos comerciais leves, especialmente nas aplicações urbanas”, disse Volker Mornhinweg, presidente da Mercedes-Benz Vans. Volker informou que a nova geração da Sprinter bate são recarregados em pleno vôo. Assim, o carro precisa fiar parado horas para recarregar: o motorista informa a necessidade de nova carga pelo celular e o drone é acionado e conecta-se no teto do carro, que continua andando. O abastecimento por drones elimina a necessidade de ter pontos de recarga físicos, reduzindo o custo de operação.

• Consórcio cresce entre público jovem

A compra de carro por consórcio aumentou entre jovens, conforme dados de uma grande administradora do sistema. Com parcelas muitas vezes menores do que do financiamento, o consórcio é uma boa alternativa para a compra do primeiro carro. É verdade que a pessoa paga o carro adiantado: se não for sorteado só recebe após o pagamento total. Mas é uma alternativa para quem não tem pressa do carro.

• PSA busca eficiência energética

A PSA, que reúne a Peugeot e a Citroën, assinou um acordo de cooperação com a Fapesp para a criação do centro de pesquisa para desenvolver motor a biocombustível.    O programa tem um investimento de R$ 32 milhões em dez anos.

* Joel Leite é jornalista, palestrante e criador da Agência AutoInforme, agência especializada no setor automotivo