Por Redação

A indústria brasileria de implementos rodoviários encerrou 2017 com retração das vendas ao mercado interno de 2,4%. Foram entregues aos transportadores 60,5 mil equipamentos contra 62 mil unidades no ano anterior. Trata-se do quarto ano consecutivo de queda.

Apesar do índice negativo, as empresas fabricantes associadas da Anfir, a Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, comemoram o resultado. O recuo foi bem inferior ao dos anos anteriores e, no entender dos produtores,,sinaliza a retomada nos pedidos.

Desde 2013, quando foram negociados 177,9 mil equipamentos,  as quedas foram abruptas. As vendas ficaram em 159,8 mil já em 2014 e  caíram quase pela metade no ano seguinte, quando foram negociadas apenas 88,3 mil unidades.

Diante desses seguidos tombos, é natural que a quase estabilidade de 2017 seja interpretada como  resultado satisfatório. Em especial por fabricantes que trabalham com a linha pesada,  que envolve reboques e semirreboques. O segmento registrou até mesmo evolução de 7,5%: de  23,2 mil implementos em 2016 para 24,9 mil entregues no ano passado.

Anúncio

“A rfecuperação do segmento pesado representou para a indústria um momento importante em 2017 ”, comemora Alcides Braga, presidente da entidade. “Em 2018 devemos ampliar esse resultado, acompanhando a recuperação da economia,que também deverá trazer o segmento leve para o desempenho positivo”.

Os produtos leves, de fato, ainda seguiu puxando a média do mercado para baixo no ano passado. Contra as 38,8 mil unidades negociadas em 2016,  foram 35,6 mil em 2017, recuo de 8,3%.  “Não conseguimos zerar as perdas por conta do comércio urbano que ainda não respondeu à recuperação da economia”, analisa o presidente da Anfir.