Por Redação

A MAN Latin America está ampliando sua presença na América Central com a conquista de um novo mercado, a Nicarágua. A fabricante de Resende, RJ, iniciou neste mês a entrega dos primeiros caminhões Volkswagen para o Grupo CIM, importador daquele país que intermediou os negócios com o Grupo Pantaleon, um dos maiores produtores de cana de açúcar da América Central.

Um diferencial da transação é que os caminhões da Volkswagen – serão quatro no total – irão substituir tratores antes utilizados na colheita de cana de açúcar, o que é inédito na operação. Também serão utilizados para o transbordo para uma semeadora na região.

O primeiro engenho do Grupo Pantaleon a utilizar os caminhões brasileiros fica na cidade de Chinandega, localizada a 140 quilômetros da capital Manágua. “Esse procedimento nunca foi feito por um caminhão antes, sempre se fez com tratores. E tivemos a honra de ser os primeiros do país a estrear esta novidade, estamos fazendo história”, comenta Rommel Zelaya Gutierrez, gerente de frota da Pantaleon.

Anúncio

A inovação, segundo a MAN, é motivada pelo aumento da produtividade no processo de colheita e semeio, já que os tratores têm limite de carga nos reboques e na manobra na plantação. O caminhão VW é mais compacto e leva os implementos de colheita diretamente no chassi rígido facilitando as manobras e agilizando a colheita.

Leia mais

Exportações da MAN crescem 31% em 2017

Os operadores nicaraguenses contaram com treinamento de uma equipe brasileira da MAN Latin America para uso adequado dos caminhões. Por conta de novos negócios na América Central e Caribe, a MAN está fortalecendo sua presença na região. Abriu estrutura própria de vendas e assistência técnica em Honduras, Nicarágua, Guatemala e Panamá. O mercado total de caminhões e ônibus acima de 3,5 toneladas de peso bruto total na região situa-se na faixa de 14,5 mil unidades.


Foto: Divulgação/MAN