Por Joel Leite

Um estudo publicado pela Associação de Automóveis da América, de Chicago, e desenvolvido na Universidade de Utah, nos Estados Unidos, revelou o impacto na segurança dos sistemas modernos de assistência e entretenimento nos veículos.

Os técnicos avaliaram que a tecnologia empregada nos carros modernos acabam fazendo com que o motorista desvie mais a atenção da rua ou da estrada e retirar muito mais a mão do volante.

Segundo os técnicos que estudaram o avanço dessa tecnologia, a segurança piorou, pois as montadoras colocam cada vez mais sistemas que permitem ao motorista entrar em redes sociais, enviar emails, mensagens de texto.

O uso da tecnologia está cada vez mais complexo. Os carros tinham meia dúzia de botões, hoje têm dezenas, além de telas que lêem toque ou recebem mensagens escritas, comando de voz, avisos de ultrapassagem da linha, sinais sonoros e luminosos de avisos em geral.

Anúncio

O estudo lembrou,no entanto, que os novos sistemas – de qualquer forma – são mais seguros do que operar o celular e o GPS.

Foram avaliados trinta carros e picapes em testes realizados no ano passado e todos os motoristas desviaram os olhos da via e tiraram a mão do volante.

Dos trinta veículos, 23 exigiram dos motoristas níveis de atenção classificados como Alto ou Muito Alto. Apenas sete foram considerados com nível de atenção Moderado.

A atividade que mais absorveu a atenção dos motoristas foi programar o sistema de navegação. Os motoristas precisaram, em média, 40 segundos para cumprir essa tarefa.

O diretor do estudo deu uma idéia do que significa desviar a atenção durante longos 40 segundos: “A 40 km/h, um carro pode percorrer uma distância de quatro campos de futebol”.

Ao desviar a atenção por apenas alguns segundos, o motorista dobra o risco de sofrer um acidente.

* Joel Leite é jornalista, palestrante e criador da Agência AutoInforme, agência especializada no setor automotivo