Por Alzira Rodrigues | alzira@autoindustria.com.br

Após perder para a China a primeira posição entre os países que mais vendem autopeças para o Brasil, os Estados Unidos foram superados este ano pela Alemanha e ocupam agora a terceira colocação nesse ranking.

As importações de autopeças alemãs registraram expressivo crescimento de 40,2% no primeiro quadrimestre deste ano, atingindo US$ 552,4 milhões, conforme dados divulgados pela Sindipeças este mês.

A China, primeira colocada no ranking desde o ano passado, vendeu total de US$ 589 milhões, alta de 28,2% no mesmo comparativo. Já as importações dos Estados Unidos cresceram apenas 0,2%, ou seja, ficaram praticamente estáveis na faixa de US$ 521 milhões.

O Brasil importou no primeiro quadrimestre total de US$ 4,73 bilhões, o que representou alta de 18% sobre o valor registrado no mesmo período do ano passado.

Leia mais

Autopeças faturam 26,2% a mais no ano

Anúncio

Autopeças: déficit comercial sobe 4,2%.

Assim como as importações da China e da Alemanha, também as compras efetuadas no México e Japão estão crescendo este ano acima da média. Atingiram US$ 429,7 milhões no primeiro caso, elevação de 33,5%. Do Japão vieram US$ 424,7 milhões, expansão de 43,1%.

As participações dos cinco países que mais vendem autopeças para o Brasil estão bastante próximas esse ano. A China, primeira colocada, detém 12,5% dos negócios. Na sequência vêm Alemanha, com 11,7%, Estados Unidos (11%), México (9,1%) e Japão (9%).

Assim como as importações, também as exportações de autopeças cresceram no quadrimestre. A alta foi de 20,4%, com US$ 2,57 bilhões exportados em autopeças. O déficit comercial das autopeças atingiu US$ 2,16 bilhões no período, valor 15,2% superior ao dos quatro primeiros meses do ano passado.