Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

O Grupo Renault registrou mais um recorde de vendas globais ao entregar pouco mais de 2 milhões de veículos, um crescimento de 9,8% sobre o mesmo período do passado. A empresa lembra, porém, que desde 1º de janeiro passaram a ser contabilizados no resultado da corporação, os volumes de venda da Lada, Jinbei e Huasong, com incremento nas vendas que soma quase 175.000 unidades.

De acordo com a companhia, também de maneira isolada e sobre a mesma base de comparação, as marcas Renault e Dacia estabeleceram seus próprios recordes nos seis primeiros meses, com 1,37 milhão de unidades, alta de 2,4%, e 378.095 modelos, expansão de 13,4%, respectivamente.

Com o desempenho, a companhia alcança 4,3% de participação no mercado mundial, 0,2 ponto porcentual a mais em relação ao registrado há um ano.

LEIA MAIS

→Aliança Renault amplia sinergias para € 5,7 bi

→Renault destaca Brasil em balanço mundial

→Os recordes da Renault no Brasil

“Batemos um recorde de vendas pelo 3º ano consecutivo, com quase 2,1 milhões de veículos vendidos em um primeiro semestre. Na Europa, o Grupo continua conquistando participações de mercado e, fora da Europa, estamos tendo excelentes desempenhos, principalmente na América Latina, na região Eurásia e na África”, resumiu em comunicado Thierry Koskas, membro do Comitê Executivo e diretor comercial do Grupo Renault.

Anúncio

Na Europa, sua principal região de atuação, os negócios da companhia registraram alta de 4,4% para quase 1,1 milhão de veículos emplacados, encerrando o período com participação de 11% no mercado europeu, em alta de 0,2 ponto porcentual.

Fora da Europa, os emplacamentos do grupo registraram crescimento de 16,4%, para 996.977 veículos contra 856.831 licenciados no mesmo período do ano passado. As vendas da fabricante cresceram nas Américas (18,1%), Ásia-Pacífico (69,5%) e Eurásia (15,1%), mas recuaram 4,5% na região África Oriente Médio Índia.

Apesar das condições menos favoráveis no mercado argentino, a empresa a empresa apurou avanço de 22,2% nas vendas, para 70.536 unidades licenciadas no primeiro semestre. No Brasil, a alta foi mais ainda robusta, de 27,8% com 93.850 modelos licenciados. O desempenho, de acordo com a empresa, permitiu encerrar o período com participação história de 8,3%, quase 1 ponto porcentual a mais em relação ao que tinha há um ano.

Perspectivas – Com o desempenho no primeiro semestre do ano, o grupo reviu suas estimativas de mercado para o 2018. Agora, o mercado mundial deve crescer 3% frente a uma projeção anterior de 2,5%. A Europa deve experimentar expansão de 1,5%, contra 1% de antes, e o Brasil de 10% ante a estimava de 5% de antes.


Foto: Renault/Divulgação