Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

O Brasil não tem sido visto com muito bons olhos por boa parte das empresas que investiram mais recentemente no setor de motocicletas, em especial após 2014, quando o mercado encolheu e a economia ainda mais. Uma delas, inclusive, deixou oficialmente o País no começo do mês: a tradicional Indian, marca premium trazida pela Polaris, que não resistiu aos baixos volumes de vendas.

Mas esta é apenas uma parte da história do setor, que em 2018 esboça reação importante, ainda que esteja muito distante dos melhores dias. Outra empresa, e do mesmo segmento premium, está mais que safisteita com a operação local: a Triumph.

A marca inglesa encerrou seu ano fiscal 2018, que compreende de 1º de julho de 2017 a 30 de junho último, com exatas 4.244 motocicletas vendidas no varejo do mercado interno, crescimento de 9% sobre o total negociado no ano anterior.

A evolução, que está alinhada com o desempenho médio do mercado e um pouco acima dos 7,5 % que a Abraciclo espera para as vendas no varejo em 2018,  é comemorada por Waldyr Ferreira, diretor geral da Triumph no Brasil: “Com este resultado, fomos a subsidiária da Triumph com o maior crescimento no mundo”.

A marca vendeu no período em todo o planeta cerca de 61 mil motocicletas. A jovem operação brasileira, iniciada há pouco mais de cinco ano apenas, deteve assim perto de 7% desse total.

Anúncio

 

A Triumph do Brasil foi a subsidiária da marca com maior crescimento no mundo

A participação no mercado brasileiro no segmento premium acima de 500 cc  foi de 13,7%, a terceira mais alta da montadora inglesa em todo o mundo no período, atrás somente dos mercados ingles e indiano.

Os números referentes ao primeiro semestre de 2018 indicam que a curva de participação segue ascendente. De janeiro a junho a empresa respondeu por 14,2% do negócios do segmento.

A maior força da Triumph está na linha de bigtrails. O modelo Tiger responde por perto da metade das vendas da marca aqui. A 800 lidera o segmento pelo terceiro ano consecutivo, com  1.171 unidades vendidas no primeiro semestre. No ano fiscal 2018, registrou  2.160 motos, crescimento de 10,9% sobre o ano fiscal anterior.

O segmento de big trails até 800 cc atingiu um volume de 4,4 mil motocicletas em 2017, crescendo cerca de 5% sobre o total comercializado em 2016. Para 2018, a expectativa é de nova evolução, para cerca de 4, 7 mil unidades.

LEIA MAIS

→Triumph lança nova geração da Tiger

→Mercado interno cresce e puxa produção de motos

Em 2017 foram vendidas pouco mais de 1,8 mil Tiger 800, perto de 44% do segmento. A fabricante calcula que este ano  poderá superar as 2 mil unidades.

Os modelos clássicos, outra vertente explorada pela marca, também continuam com vendas em ascensão. No ano fiscal 2018, a Triumph vendeu 891 unidades no segmento, 43,4% a mais que no período anterior. Destaque para a Street Twin, a mais vendida, com 257 unidades.


Foto: Divulgação/Triumph