Com investimentos da ordem de R$ 170 milhões, recursos financiados pelo Banco do Nordeste, pela Finep, Financiadora de Estudos e Projetos, e BNDES, Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foi inaugurada nesta quarta-feira, 29, em Bom Jardim (PE) a sétima fábrica do Grupo Moura.

A unidade, numa primeira fase, produzirá exclusivamente baterias pesadas para os segmentos de utilitários esportivos, picapes e caminhões. Até o fim do ano, afirma a empresa, cerca de duzentos funcionários fabricarão perto de 1 milhão de baterias.

Porém, ainda que a Moura não tenha precisado em qual prazo, a nova fábrica poderá atingir até 10 milhões de unidades anuais, volume semelhante ao que as demais fábricas juntas podem produzir atualmente para automóveis, caminhões, motos, barcos, trens e nobreaks, dentre outras aplicações.

Bom Jardim, a 180 quilômetros de Recife, onde surgiu a empresa de capital nacional, já é o maior polo produtor de baterias na América do Sul. Lá já estavam cinco unidades produtivas do grupo que completou 60 anos em 2017 – a sétima fica na Argentina. Perto de 15% da produção brasileira têm como destino a exportação.

Anúncio

LEIA MAIS

→Iniciativas necessárias em prol do veículo elétrico

→Mercedes-Benz reconhece fornecedores em clima de otimismo

Segundo a Moura, na nova planta, construída em apenas um ano, foram adotadas cerca de 2 mil melhorias de processo produtivo desenvolvidas nas demais unidades. Das cerca de duas centenas de trabalhadores, 82% são de novos profissionais e um terço está em seu primeiro emprego.


Foto: Divulgação/ Moura