A Toyota pretende convocar proprietários de mais de 1 milhão de veículos da marca no Japão, América do Norte, Europa e de outras regiões devido a problemas no chicote elétrico dos motores de alguns de seus modelos, dentre eles as versões híbridas do Prius e C-HR.

A montadora admitiu nesta quarta-feira, 5, que vibrações podem desgastar precocemente o revestimento da fiação e, em caso de contato com fontes de calor, elevar o risco de incêndio.

Será um dos maiores recalls da história da marca depois do famoso episódio que envolveu os airbags da Takata. O problema agora afeta veículos fabricados no Japão entre junho de 2015 e maio deste ano 2018.

LEIA MAIS

→Toyota antecipa-se ao IPI menor e reduz preço do Prius

→Brasil poderá ter 500 mil veículos eletrificados nas ruas em 2026

Anúncio

→Ford faz acordo no caso dos airbags Takata

A empresa afirma que cerca da metade dos automóveis envolvidos, perto de 500 mil unidades portanto, foi negociada dentro do próprio mercado japonês. Algo como 192 mil Prius, porém, foram destinados aos Estados Unidos.

AutoIndústria consultou a Toyota do Brasil. A empresa relatou que ainda apura se unidades do Prius vendidas no mercado brasileiro estão envolvidas no chamamento.

De janeiro a agosto, já foram emplacados 1,8 mil Prius no Brasil. Desde 2016, as vendas da atual geração do sedã híbrido chegaram a 4,8 mil unidades, aponta levantamento da Fenabrave.


Foto: Divulgação/ Toyota