Lá se vão quase quatro anos do fim de produção da Kombi no País e até hoje há uma lacuna nesse importante segmento que teve o utilitário da Volkswagen como principal protagonista por muitos anos. Um espaço que a PSA decidiu ocupar a partir do lançamento do Citroën Jumpy e Peugeot Expert, que hoje têm oferta inferior à demanda e fila de espera para algumas versões. Luis Basavilbaso, vice-presidente de veículos utilitários leves do Grupo PSA para a América Latina, comemora o sucesso dos dois modelos no mercado brasileiro e revela nesta entrevista ao AutoIndústria projeto de ampliar a produção na fábrica do Uruguai, que mantém em parceria com a Nordex. A produção estimada em 5 mil unidades este ano subirá para 7 mil em 2019. “Nosso objetivo é liderar o segmento de utilitários na América Latina assim como já acontece na Europa”. Neste ano o grupo dobrará as vendas de comerciais leves das duas marcas no mercado brasileiro.

Há fila de espera para o Peugeot Expert e Citroën Jumpy no Brasil. Ao que o senhor atribuiu o sucesso dos modelos?
Na ofensiva de lançamentos de veículos utilitários leves que planejamos para a América Latina, temos tido sucesso com nossos dois novos produtos, lançados na Fenatran 2017. Emplacamos desde o início do ano mais de 1,3 mil unidades, das quais 550 do Peugeot Expert e 760 do Citroën Jumpy. São veículos com capacidade para 1.500 quilos e estamos praticamente sozinhos nesse segmento. Desde que a Volkswagen Kombi deixou de ser produzida ficou uma lacuna nesse mercado. Tem mais demanda do que oferta.

Qual o tamanho da fila de espera?
Já foi maior, mas hoje está na faixa de um a dois meses dependendo da versão. Os novos utilitários são sucesso também na Europa e a fábrica que produz as suas peças na França tem dificuldade para abastecer as outras linhas, como a que temos no Uruguai em parceria com a Nordex.

Qual é a capacidade da fábrica uruguaia?
Este ano serão produzidas pouco mais de 5 mil unidades do Expert e Jumpy. Desse total, cerca de 2 mil virão para o Brasil. Estamos ampliando a oferta gradativamente e em agosto sobre janeiro crescemos 40%. Nosso objetivo é dobrar o volume de venda dos dois utilitários no mercado brasileiro no próximo ano.

A PSA investirá em aumento de produção no Uruguai?
Sim, já temos aprovação da matriz de um aporte para ampliar a produção dos utilitários Jumpy e Expert. A partir do ano que vem a capacidade subirá de 5 mil para 7 mil unidades por ano.

A fábrica do Uruguai abastece quais mercados?
Abastece Brasil e Argentina, onde o mercado de veículos está em crise e acreditamos que no geral tende a cair em torno de 25% em 2019. É claro que é só uma projeção. Mesmo com relação ao Brasil, a previsão de ampliar as vendas dos utilitários depende do que vai acontecer no governo e com o PIB. 2019 ainda é uma grande incógnita.

Anúncio

De quanto será o investimento?
Como é um projeto conjunto com a Nordex, não revelamos valores. Acreditamos que atingindo as 7 mil unidades conseguiremos equilibrar a oferta com a demanda.

O aumento da capacidade envolve novas versões?
Acabamos de lançar a versão minibus do Jumpy e acreditamos que isso contribuirá significativamente para a expansão das vendas. É um veículo muito eficiente para os frotistas.

O Expert também terá versão minibus?
Estamos trabalhando no projeto mas ainda não há data de lançamento.

Qual a posição do Grupo PSA no mercado de utilitários aqui e no mundo?
Esse segmento é altamente estratégico para o Grupo PSA e somos líderes em utilitários na Europa. Nosso objetivo é também atingir a liderança na América Latina. Vendemos total de 30 mil unidades em 2015 e temos como desafio chegar a 60 mil em 2020, ou seja, dobrar o volume em cinco anos. No ano passado emplacamos 43 mil comerciais leves de pequeno e médio portes na região, o que significa que estamos caminhando rumo à nossa meta.

Quais os outros produtos da PSA hoje no segmento?
Temos o Peugeot Partner e o Citroën Berlingo. Concentramos nossa oferta em furgões, ambulância e minibus e até agosto, incluindo todos os nossos utilitários, tínhamos vendido 2.338 unidades no mercado brasileiro. É um volume 40% superior ao de todo o ano passado (1.716). Nossa previsão é dobrar as vendas este ano, chegando perto de 3,4 mil unidades.

Qual o público principal dos utilitários da PSA?
São clientes que têm pequenas frotas, entre um e cinco veículos. Cerca de 80% das nossas vendas concentram-se nesse público. Mas estamos ampliando nosso horizonte e deveremos fechar parcerias com frotistas maiores. Em breve deveremos ter novidade.

A que fatores o senhor atribui o bom desempenho do Jumpy e Expert?
São veículos supermodernos, iguais aos vendidos na Europa. Consomem, em média, 25% a menos de combustível do que os veículos concorrentes e oferecemos grande suporte no pós-vendas, com planos especiais de manutenção.

Há concessionárias específicas para a venda dos utilitários?
Toda a nossa rede, de quase 200 concessionárias, comercializa os comerciais leves. Mas nos lugares onde a demanda é maior montamos espaços próprios – o Peugeot Professional Center e o Citroën Business Center. São, respectivamente, 16 e 15 centros. É um espaço dentro da concessionário exclusivo para atender esse público, que tem horários alternativos de funcionamento, com profissionais que fazem contato direto com o gestor da frota e são altamente qualificados para atender esse público.


Fotos: Divulgação/PSA