Assim como o mercado em geral, também a Kia registrou queda nas vendas de setembro sobre agosto por causa do menor número de dias úteis do mês passado – 19 contra 23. O decréscimo foi de 11,2%, abaixo do registrado na média do mercado, de 14,4%. Com  a venda de 945 unidades em setembro, a marca cresceu 44,9% em relação ao mesmo mês de 2017 e atingiu 8.908 emplacamentos, evolução de 43,3% no acumulado dos primeiros nove meses do ano.

LEIA MAIS

Em setembro, a maior venda diária de veículos no ano

Kia Stinger GT chega por R$ 350 mil

A empresa tem market share de 0,50% em 2018 e é líder entre as associadas à Abeifa, Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores. Com relação à queda de setembro sobre agosto, o presidente da Kia Motors, José Luiz Gandini, reconhece que parte desse resultado deve-se ao menor número de dias úteis, mas diz que “o efeito eleições e a alta do dólar também influenciaram as vendas”.

Anúncio

O SUV médio Sportage foi o líder de vendas da Kia no mês passado, com 400 unidades emplacadas. Na sequência aparecem o comercial leve Bongo e o sedã médio Cerato, com 350 e 110 unidades comercializadas, respectivamente.

“A venda de 350 unidades do caminhão leve Bongo foi uma grata surpresa em setembro”, comemora Gandini. “As vendas do modelo cresceram 34,6% em relação ao mês anterior, enquanto o mercado caiu”. O presidente da Kia Motors projeta fechar o ano com 14 mil unidades da marca licenciadas no Pais.


Foto: Divulgação/Kia