A Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi vendeu mais de 10,76 milhões de veículos no ano passado, com crescimento de 1,4% em relação ao ano anterior, graças principalmente ao desempenho dos modelos Clio, Captur e Sandero, da Renault; X-Trail/Rogue e Sentra/Sylphy, da Nissan; e Eclipse Cross e Xpander, da Mitsubishi.

No segmento de veículos comerciais leves, os destaques foram Renault Kangoo, Master e Trafic; Nissan Frontier/Navara e Terra, bem como Mitsubishi Triton.

Com 334,5 mil unidades, o Brasil é o oitavo maior mercado da Aliança globalmente. Pela ordem, os países que mais compraram seus produtos em 2018 foram China, Estados Unidos, França, Japão, Rússia, México e Alemanha.

No que diz respeito à Renault, as vendas por aqui atingiram 214,8 mil veículos, o quinto maior mercado da marca. A Nissan comercializou 97,5 mil unidades, ficando na oitava posição do ranking mundial da marca.

Conforme balanço divulgado na quarta-feira, 30, as vendas de veículos que utilizam a plataforma comum CMF, Common Module Family (família de módulos comuns), um dos principais pilares do plano de médio prazo Alliance 2022, também evoluíram em 2018, resultado principalmente do início das vendas do Renault Kwid em mais mercados internacionais e do aumento da produção da picape Nissan Frontier, cuja arquitetura é compartilhada com a Renault e a Mercedes.

LEIA MAIS

Nissan faz pré-estreia da Frontier 2019

Com Frontier, Nissan inicia operações na Argentina

Com Kwid e Captur em alta, Renault já tem 8,6% do mercado interno

Anúncio

Com Brasil como destaque, Grupo Renault bate recorde mundial em 2018

“A maximização das sinergias, com o desenvolvimento cruzado e a produção cruzada, tem papel de destaque na estratégia da Aliança para aumentar a participação de mercado e as vendas de veículos comerciais leves das três montadoras em todo o mundo”, avaliam seus dirigentes.

LEIA MAIS

Renault anuncia seus novos dirigentes

Ghosn renunciou ao comando da Renault, afirmam agências

Das empresas membro da Aliança, as vendas do Grupo Renault avançaram 3,2%, com 3.884.295 unidades comercializadas em 2018, enquanto as da Nissan caíram 2,8%, para 5.653.683 veículos no mundo. Já a Mitsubishi Motors Corporation vendeu 1.218.897 unidades, alta de 18,3% em relação a 2017.

A Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi prevê atingir sinergias anuais de mais de 10 bilhões de euros até o término do plano estratégico Alliance 2022. O objetivo é ter uma produção de 9 milhões de veículos baseados em quatro plataformas comuns. Até lá, serão lançados doze veículos 100% elétricos e outros quarenta equipados com diferentes níveis de autonomia.


Foto: Divulgação/Nissan