No ano passado, a indústria de pneu acumulou vendas de 59,4 milhões de unidades, leve alta 0,2% em relação ao volume entregue no mesmo período de 2017, quando somou 59,3 milhões de pneus vendidos. Na mesma base de comparação, do total negociado, as montadoras absorveram 15,1 milhões, alta de 15,5%, e o mercado de reposição ficou com 44,2 milhões, queda de 4,1%.

De acordo com Klaus Curt Müller, presidente executivo da Anip, associação que reúne as fabricantes de pneumáticos, o resultado poderia ter sido melhor, não fosse as incertezas do contexto político e econômico no País em 2018.

“Para 2019, o setor está otimista e com a perspectiva de ações concretas do governo, visando melhorar a competitividade da indústria”, acredita o dirigente e pondera: “O foco do novo governo federal deve possibilitar um ambiente empresarial que posicione o Brasil no contexto das importantes cadeias globais de valor, viabilizando mais investimentos, inovação e tecnologia aos nossos produtos.”

Por segmentação, as vendas de pneus de passeio em 2018 acumularam 33,4 milhões de unidades contra 34,8 milhões apuradas em 2017, uma queda de 3,4%. Para o segmento de carga, as entregas totalizaram 7,2 milhões de unidades, volume que representou alta de 8,9% sobre o resultado de um ano atrás, de 6,6 milhões. Já o mercado de motos absorveu 10 milhões pneus, expansão de 8,9% sobre os 9,2 milhões de pneus vendidos em 2017. Por fim, as vendas de pneumáticos para veículos comerciais leves alcançaram 7,5 milhões de unidades, volume de 1,5% menor em relação ao do ano anteriores, de 7,7 milhões.

Anúncio

Conforme aponta o relatório da Anip, embora o volume exportado tenha registrado uma diferença de 20,8 milhões de pneus em relação ao importado, 14,8 milhões de unidades contra 35,7 milhões trazidas de fora, a balança comercial da indústria de segmento em 2018 registrou superávit de US$ 171,5 milhões.

Relatório completo da Anip pode ser conferido aqui.