O ano começou com queda tanto nas exportações como nas importações de autopeças. Balanço divugado pelo Sindipeças com base em dados do Ministério da Economia indica retração de 16,7% nas vendas externas, que totalizaram US$ 511 milhões em janeiro contra os US$ 614,2 milhões do mesmo mês de 2018.

O índice de queda nas importações é quase idêntico. As importações reduziram-se 16,8% no mesmo comparativo, de US$ 1,2 bilhão para US$ 1 bilhão. Diante desses resultados, o setor iniciou o ano com déficit comercial de US$ 494 milhões, um valor ainda significativo mas 16,8%% inferior ao de janeiro do ano passado.

Com relação às exportaçoes, o Sindipeças ressalta que o resultado de janeiro deste ano, embora inferior ao de 2017, é superior aos registrados no mesmo mês de 2015, 2016 e 2017, com altas de, respectivamente, 1,5%, 39,9% e 15,5%.

Como já vinha ocorrendo desde o final do ano passado, os Estados Unidos continuouaram em primeiro lugar na lista de destinos das exportações de autopeças brasileiras. Foram vendidos para o mercado estadunidense total de US$ 126,6 milhões, 8,3% a mais do que no primeiro mês de 2018.

Anúncio

No mesmo comparativo, as exportações para a Argentina encolheram 43,5%, para US$ 92,6 milhões. Em compensação, houve crescimento das vendas para o México (9,2%), Chile (33,4%) e Colômbia (14,5%), além dos Estados Unidos.

A China, por sua vez, se mantém no topo do ranking de origem das importações. Mas houve queda de 4,9% nas compras feitas pelos brasileiros no país asiático, para US$ 162,9 milhões. Também recuaram as importações oriundas dos Estados Unidos, México, Japão e Coréia do Sul.

No ranking dos dez países que mais exportam para o Brasil, apenas a Alemanha vendeu mais em janeiro – US$ 135,6 milhões, valor 2,7% superior ao registado em janeiro de 2017, que foi de US$ 132 milhões.