Areceita operacional líquida da multinacional brasileira Iochpe-Maxion alcançou R$ 2,47 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representou crescimento de 15,1% em relação ao resultado obtido no mesmo período de 2018.

O balanço positivo, segundo Marcos de Oliveira, presidente & CEO, reflete a acertada estratégia de internacionalização da companhia, com equilíbrio entre os desempenhos nas regiões em que atua.

“Nossa estratégia nos oferece um equilíbrio cambial importante”, comenta Oliveira. “Compramos matéria prima e vendemos nossos produtos no Brasil em real e adotamos essa mesma fórmula em todos os mercados nos quais estamos presentes”.

A empresa possui hoje 31 fábricas localizadas em 14 países, com abrangência de vendas em 42 diferentes mercados. “Ter essa flexibilidade é fundamental para manter a empresa lucrativa mesmo quando alguns mercados enfrentam dificuldades”, completa Marcos.

Anúncio

Com a ampliação da capacidade da planta de Chihuahua, no México, a Iochpe-Maxion ampliou sua oferta de rodas de alúminio no Nafta e, com isso, expandiu em 19% a sua receita líquida na América do Norte no primeiro trimestre.

Na América do Sul o faturamento cresceu 8,4%, apesar da queda das exportações do Brasil. A empresa destaca as rodas de aço e os componentes estruturais para veículos comerciais como os produtos com melhor desempenho na região.

Também houve expansão da receita na Ásia, de 14,5%, graças ao crescimento das vendas de rodas de alumínio na região. Já o desempenho na Europa foi impactado de forma negativa pelos testes de emissão adotados desde o final de 2018, com recuo de 3,1% na receita líquida.


Foto: Divulgação/Iochpe-Maxion