Os negócios da indústria de pneus desaceleraram no mês passado e o setor apresenta resultado negativo no acumulado do ano. As vendas no setor caíram 4,8% em abril no comparativo com o mesmo mês de 2018, baixando de 4,98 milhões de unidades para 4,74 milhões. Em relação a março, quando foram negociados 5 milhões de pneus, o decréscimo é de 5,2%.

Com o resultado de abril, a indústria acumulou vendas de 19 milhões de pneus no primeiro quadrimestre, com queda de 2,7% sobre as 19,6 milhões de unidades comercializadas em idêntico período do ano passado. O que está impedido um desempenho ainda pior do setor são as vendas para as montadoras, que cresceram 1,5% no período, enquanto as realizadas no mercado de reposição caíram 4,8%.

“Os números do quadrimestre nos preocupam, a ponto de questionarmos as previsões de crescimento para o País”, comentou Klaus Curt Müller, presidente executivo da Anip, Associação Nacional da Indústria de Pneus. “Esperamos que a confiança do mercado seja logo restabelecida para, assim, voltarmos a crescer”.

Anúncio

O executivo disse ainda que o setor segue na expectativa de ações concretas do novo governo, “para garantir a viabilidade não só dos benefícios futuros, como também possibilitar a retomada da confiança dos investidores e, assim, fomentar o crescimento econômico do País”.

No comparativo de abril deste ano com o mesmo mês de 2018, as vendas para o mercado de reposição caíram 7,2%, enquanto as entregas para as montadoras cresceram 1,5%.

No segmento de pneus de passeio, os negócios OEM evoluíram 3,9% no acumulado do ano, para 3,55 milhões de unidades comercializadas no primeiro quadrimestre, e as vendas para reposição caíram 10,2%, para 7 milhões de pneus.

Com relação aos pneus de carga, há expresivo crescimento de 32% nas entregas para as montadoras de caminhões e ônibus, para 596 mil unidades no quadrimestre, enquanto o mercado de reposiçao registra queda de 2,2%, para 1,86 milhão de pneus.


Foto: Divulgação/Automec 2017