O Mercedes-Benz Accelo 1016 e o Hyundai HR obtiveram as melhores avaliações nas categorias Caminhões e Utilitários de Carga, respectivamente, na 5ª edição do Selo Maior Valor de Revenda – Veículos Comerciais, da Agência AutoInfrme, em parceria com a Editora Frota e Textofinal.

Em 3 anos de uso, o HR teve apenas 13,3% de depreciação, índice que no caso do Accelo 1016 foi de 17,2%. Rafael Abolis, gerente de vendas de caminhões a frotistas da Mercedes-Benz, e Jack José Nunes Junior, diretor executivo da Caoa Hyundai (foto), receberam os trofeus de Campeão Geral das categorias Caminhões e Utilitários.

Em cinco edições do SMVR-VC, de 2015 a 2019, a Mercedes-Benz venceu em 16 categorias entre Utilitários e Caminhões e recebeu o título de campeã em cinco oportunidades. A Caoa Hyundai vem na sequência no balanço quinquenal dessa disputa, com a conquista de títulos em quatro categorias e três vezes campeã geral.

A Renault e a Volkswagen foram quatro e três vezes, respectivamente, vencedoras em alguma categoria e obtiveram um título máximo cada uma. Fiat, Ford, Iveco, Scania e Volvo também venceram em categorias nas quais concorreram, mas não anotaram o maior valor de revenda na classificação geral de Utilitários ou de Caminhões.

O SMVR-VC tem por objetivo estimular montadoras e importadoras a valorizar seus próprios produtos e, por consequência, preservar os investimentos de caminhoneiros autônomos e frotistas.

Outros sete modelos foram contemplados pelo Selo Maior Valor de Revenda– Veículos Comerciais 2019. Na categoria Utilitários, além do Hyundai HR (camioneta de carga e campeão geral), venceram o Renault Master Furgão (furgão de carga, com depreciação de 13,5%), o Fiat Fiorino Furgão (furgoneta de carga, com 15,9%) e o Mercedes-Benz Sprinter Van (minibus, com 15,8%).

Anúncio

No grupo Caminhões, os veículos menos depreciados foram o Mercedes-Benz Sprinter 415 (semileve, com perda de 19,3), Mercedes-Benz 1419 4×2 Atego (caminhão médio, com menos 23,6%), Mercedes-Benz Atego 1419 (Médi, com 24,8), o Scania P 310 8×2 (semipesado, com 21,8%), o Volvo FH 540 6×4 (pesado, com 20,6%) e o próprio Mercedes-Benz Accelo 1016 (caminhão leve e campeão geral).

“Para formar o índice de depreciação, foram considerados os preços médios dos veículos 0 Km praticados no primeiro trimestre de 2016 e seus modelos correspondentes com três anos de uso – janeiro a março deste ano –, geralmente prazo inicial de substituição para fins de renovação de frota”, explica José Augusto Ferraz, diretor da Editora Frota.

Segundo Joel Leite, idealizador do prêmio e diretor da Agência AutoInforme, esse estudo vem sendo feito há quase 20 anos, em parceria com a Molicar. Na prática, explica, o selo reconhece os veículos comerciais – utilitários ou caminhões – que mantêm um alto valor de mercado apesar do tempo de uso.


Foto: Divulgação/AutoInforme