Dados consolidados pela Acea, associações dos fabricantes de veículos europeus divulgados na quarta-feira, de 17 de julho, apontam uma queda de 3,1% nas vendas de veículos de leves na União Europeia. Nos primeiros seis meses do ano, os licenciamentos somaram 8,2 milhões de unidades negociadas, contra 8,4 milhões registradas no mesmo período do ano passado.

De acordo com o relatório, dos quatro maiores mercado da Europa, somente a Alemanha obteve resultado positivo, ainda assim um ligeiro crescimento de 0,5% sobre a primeira metade do ano passado, com 1,8 milhão de unidades vendidas no período. Os negócios da França caíram 1,8%, para 1,1 milhão de veículos; no Reino Unido 3,4%, com 1,2 milhão, e na Itália, 3,5%, para pouco mais de 1 milhão de unidades.

A associação dos fabricantes aponta o desempenho de junho como um dos responsáveis pelo recuo no semestre em virtude do menor número de dias úteis: 19 contra 21 contabilizados há um ano. No mês passado, os registros de automóveis alcançaram 1,4 milhão de unidades, declínio de 7,8% em relação ao mesmo mês de 2018, quando os emplacamentos chegaram a 1,5 milhão de unidades.

LEIA MAIS

→Acordo com a UE é ameaça ou oportunidade?

Anúncio

→Mercado de automóveis na Europa fecha 2018 empatado com 2017

Dentre os cinco maiores vendedores de automóveis da UE, o Grupo Volkswagen encerrou o primeiro semestre na liderança com 1,9 milhões de unidades entregues, volume que representou retração de 4,3% na comparação com o resultado de um ano atrás e 24,2% de participação no mercado.

Segue a fabricante alemã na vice-liderança o Grupo PSA, que negociou 1,3 milhão de automóveis no primeiro semestre, em leve queda de 1% e fatia de 16,7% das vendas totais. O terceiro lugar ficou com o Grupo Renault, com 538,8 mil unidades licenciadas, volume estável em relação aos seis primeiros meses do ano passado, mas com um pequeno ganho de participação de 10,7% para 11%.

Em quarto e quinto lugares ficaram a Grupo Hyundai e FCA, respectivamente. A empresa coreana vendeu 538,8 mil unidades, leve baixa de 0,6% com 6,6% de participação, e a fabricante ítalo-americana, 531,2 mil automóveis, em queda de 9,5% e fatia de 6,5%.


Foto: Pixabay