Apesar de ter registrado crescimento em julho sobre junho, o mercado de carros importados pela 15 marcas filiadas à Abeifa, Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, segue em queda no ano.

Em julho foram licenciadas 2.952 unidades, alta de 10,3% em relação junho, mas queda de 4,8% no comparativo com o mesmo mês do ano passado, quando foram emplacadas 3.101 unidades.

No acumulado dos primeiros sete meses, as associadas da Abeifa comercializaram 19.168 carros importados, 8,9% a menos do que os 21.049 vendidos no mesmo período de 2018. A queda acumulada é um pouco menor do que a verificada no primeiro semestre, que foi de 9,6%.

“De alguma forma, o setor de importados acompanhou o desempenho do mercado interno total de veículos automotores em julho”, comenta José Luiz Gandini, presidente da Abeifa. “Além de algumas associadas terem recuperado vendas mensais, em julho tivemos 23 dias úteis conta 19 dias em junho”.

As cinco marcas que mais venderam carros importados em julho foram a Kia Motors (812 unidades/+35,8%), Volvo (634/+1,8%), BMW (360/-26,2%), Land Rover (337/+47,8%), e Porsche (224/+40,9%).

Anúncio

Produção local – Enquanto as marcas que só importam registram desempenho negativo no ano, as quatro montadoras associadas à entidade que também produzem veículos localmente – BMW, Caoa Chery, Land Rover e Suzuki – mantêm taxa de crescimento de 44%. Juntas elas emplacaram 11.929 unidades nos primeiros sete meses de 2018, ante as 17.180 de igual período deste ano.

As associadas com produção local licenciaram 2.653 unidades em junho, alta de 3,5% sobre junho e de 43,3% ante o mesmo mês de 2018, quando emplacaram 1.851 unidades.

Somados os emplacamentos de unidades importadas e produzidas localmente, o ranking das marcas representadas pela Abeifa é liderado pela Caoa Chery, com 1.779 unidades (só produção nacional), seguida da BMW, com 875 unidades (515 nacionais + 360 importadas) e da Kia Motors com 812 veículos (só importados).