O Grupo PSA e a Dongfeng estabeleceram plano de reestruturação da Dongfeng Peugeot Citroën Automobiles (DPCA), joint venture constituída há 27 anos. Dentre os objetivos, estão cortes de custos no curto prazo e crescimento das vendas anuais para 400 mil veículos até 2025.

Outra meta é reduzir o ponto de equilíbrio da operação para menos de 180 mil este ano e para menos de 150 mil até 2021, informam agências internacionais.

Há cerca de um mês a agência Reuters afirmou que teve acesso a documento que indica que as parceiras decidiram cortar 4 mil postos de trabalho e, das quatro fábricas que compartilham, fecharão uma e venderão outra. Na oportunidade, as empresas negaram.

Dos  731 mil veículos negociados em 2014, as vendas da joint venture na China caíram para pouco mais 250 mil em 2018, ano em que, pela primeira vez, desde a década de 90, o mercado local registrou contração. Os licenciamentos recuaram 3% no período. A projeção para 2019 é ainda mais pessismista: queda de outros 5%.

Anúncio

Para quase dobrar o número de veículos negociados em cinco anos, a empresa tem no cronograma, dentre outras medidas, o lançamento de 14 veículos até o fim de 2022, todos com versões eletrificadas.

LEIA MAIS

→ PSA promove mudanças na direção da fábrica de Porto Real

→ Joint venture da PSA pode fechar fábrica na China, diz agência

→ Lucro líquido mundial da PSA cresce 24% no primeiro semestre


Foto: Reprodução