Com exceção das exportações, a indústria brasileira de autopeças segue com resultados positivos nos demais segmentos nos quais atua. No acumulado de janeiro a julho a receita do setor evolui 9,3%, com crescimento de 12,5% nas vendas para as montadoras e de 6,6% para o mercado de reposição. Os negócios intrassetoriais tiveram alta de 25,7%.

Por três meses consecutivos a indústria manteve o nível de ociosidade na faixa de 27%, mas o nível de emprego no setor recuou 0,7% em julho com relação a junho, conforme dados da pesquisa conjuntural do Sindipeças divulgados pela entidade esta semana.

Em julho, as vendas para as montadoras cresceram 9,9% em relação a junho e 10,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado. O mercado de reposição evoluiu 8,2% na passagem mensal.

Anúncio

Já o agravamento da crise na Argentina fez as exportações em reais e em dólares recuarem, respectivamente,
3,3% e 12,2% no comparativo dos primeiros sete meses deste ano  com o mesmo período de 2018.

Diante do comportamento do mercado interno e externo, a participação das montadoras no faturamento nominal das autopeças subiu de 62,7% em janeiro para 66,9% em julho, enquanto a fatia das exportações caiu de 19,9% para 14,7% no mesmo comparativo. A penetração do mercado de reposição manteve-se em 13,6% e o restante da receita refere-se a negócios intrassetoriais.


Foto: Divulgação/Bosch