O Sindipeças divulgou nesta quinta-feira, 4, um novo levantamento histórico de faturamento do setor, com projeções para o fechamento deste ano e também para 2020. A estimativa agora é a de atingir receita de R$ 144,1 bilhões em 2019, o que representará expansão de 5,1% sobre a obtida no ano passado, que foi de R$ 137,1 bilhões.

Já para o ano que vem a projeção é a de um crescimento menor, na faixa de 3%, o que representará, se concretizado, uma receita da indústria de autopeças da ordem de R$ 148,5 bilhões. O Sindipeças decidiu utilizar nova metodologia para definir os números anuais do setor e, com isso, revisou toda a sua série histórica de estimativas de faturamento do setor, segundo explica George Rugitsky, conselheiro do Sindipeças responsável pela área de economia.

“Até 2018 o cálculo do faturamento anual levava em conta o resultado de pesquisa feita com empresas associadas”, comenta. “A partir de agora, serão incorporadas estatísticas oficiais e, por isso, os dados de anos anteriores foram recalculados em razão da alteração dos números”, explicou.

O levantamento do Sindipeças passa a adicionar às informações de autopeças extraídas da PIA, Pesquisa Industrial Anual, do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dados da CNAE, Classificação Nacional de Atividades Econômicas, que não são originalmente do setor, embora diretamente relacionados a ele. São utilizados também indicadores da Rais, Relação Anual de Informações Sociais, do Ministério da Economia.

Anúncio

LEIA MAIS

Autopeças têm déficit comercial de US$ 3,8 bilhões até outubro

Autopeças têm índices mais modestos de crescimento

Com a nova metodologia, houve aumento no faturamento estimado pelo setor. Antes a projeção para 2019 era atingir receita de R$ 102,5 bilhões, agora revista para R$ 144,1 bilhões de reais.

O setor está investindo este ano total de R$ 2,02 bilhões, número bem próximo ao do ano passado, que foi de R$ 2,04. Para 2020 a previsão é a de ampliar um pouco este montante, para R$ 2,1 bilhões.