Enquanto a venda total de automóveis teve alta de 7% este ano, passando de 2,25 milhões no período janeiro-novembro de 2018 para 2,41 milhões de unidades no acumulado de 2019, a demanda específica por carros 1.0 cresceu mais do que o dobro da média do mercado, exatos 17,7%, saltando de 675,7 mil para 795,6 mil unidades.

O resultado desse desempenho é o crescimento da participação dos modelos 1.0, que estava em 35,4% em janeiro e chegou a 42,4% em novembro, ou seja, expressivo ganho de 7 pontos porcentuais ao longo do ano, o que evidencia um movimento crescente na procura por esse tipo de veículo. Considerando a média do ano passado e do atual, a participação saltou de 35,3% em para 38,9%, alta de 3,6 pontos porcentuais, conforme dados divulgados este mês pela Anfavea.

Dentre os fatores que justificam a volta do interesse pelo 1.0, o principal, sem dúvida, é o avanço tecnológico desse tipo de motorização. A partir do Inovar Auto, programa vigente de 2013 a 2017, a exigência por redução de consumo de combustível e de emissão de poluentes gerou fortes investimentos em melhorias nos veículos brasileiros, com destaque para o motor 1.0, que passou a ter versões turbo com ganho também de potência.

LEIA MAIS

FCA investe R$ 500 milhões na produção de motores turbo em Betim

Anúncio

GM lança nova geração do Onix sem alterar preços

Já disponível em modelos da Volkswagen, como o Polo, Virtus, Up e T-Cross, da Hyundai (HB20 e HB20S), o motor 1.0 turbo chegou agora na linha Chevrolet, com o lançamento da nova geração do Onix. A FCA, Fiat Chrysler Automobiles, programa para o próximo ano a produção desse tipo de motorização em sua fábrica de Betim, MG, que atenderá modelos das marcas Fiat e Jeep a partir de 2021. É a linha Firefly turbo, que terá versões 1.0 e 1.3.

Ao contrário do que aconteceu por ocasião da chegada ao Pais do motor 1.0, que equipava os chamados carros populares, mais baratos, as opções de 1.000 cm³ atualmente equipam tanto hatches pequenos como sedãs e até SUVs. O auge das vendas de modelos 1.0 foi em 2001, quando chegaram a responder por mais de 70% do mercado.

Dos modelos mais vendidos no País, todos têm opção de motor 1.000 cm³. Em novembro, por exemplo, o Chevrolet Onix manteve-se na liderança do mercado, com 19,2 mil emplacamentos, seguido do Ford Ka, com 8,9 mil. O Fiat Argo conquistou a terceira posição no mês, com 8.270 licenciamentos – em outubro era o quinto colocado. Foi o melhor mês desde o seu lançamento em maio de 2017.