Os dez primeiros dias de abril indicam que a crise provocada pelo coronavírus está reduzindo as vendas a pouco mais de 10% do ritmo normal do mercado. Das mais de 10 mil unidades diárias que eram licenciadas antes da quarentena, as vendas diárias caíram para, em média, 1,6 mil nos sete primeiros dias úteis.

Nesse ritmo, a expectativa é de que abril tenha uma queda histórica de vendas, da ordem de 80% sobre março, que, com 156 mil unidades, já foi atingido parcialmente pela crise.

Se a quarentena for estendida até o fim do mês e o ritmo de vendas permanecer como no primeiro decêndio, o total de abril não deve chegar a 30 mil veículos, volume sem precedentes. Comparando com as 156 mil unidades licenciadas em março, a queda ficará em torno de 80%.

O mês começou com apenas 1.091 unidades vendidas no dia primeiro, subiu para 1.718 no dia 2, mas caiu para menos de 1 mil no dia seguinte (veja quadro). Na quarta-feira foi registrada a maior venda desde que foi iniciada a quarentena, com 3.770 carros licenciados.

LEIA MAIS

→ Queda no mercado de veículos pode chegar a 40% este ano