AFCA fechou acordo de redução de jornada e de salário com os trabalhadores das fábricas da Fiat em Betim, MG, da Jeep, em Goiana, PE, e de Campo Largo, PR, onde produz motores. O desconto nos salários  será da ordem de 5% a 20%, dependendo da faixa de rendimento, e o acordo tem validade por 90 dias.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, onde está instalada a Fiat, a consulta virtual aos trabalhadores aconteceu na quinta-feira, 16, e o acordo foi aprovado por 98,54% dos votantes. Ficou acertada estabilidade para 100% dos funcionários da empresa, além da manutenção de todos os benefícios. A estabilidade será de seis meses e meio (195 dias).

Alex Custodio, presidente da entidade sindical, diz que a prioridade nas negociações foi preservar os empregos e proteger ainda mais a vida dos trabalhadores durante a pandemia do novo coronavírus. “Todo metalúrgico se preocupa com seu emprego, ainda mais num período de crise tão grave. Lutamos por um acordo coletivo que poupasse nossa categoria de demissões”, destacou.

LEIA MAIS

FCA mantém investimento, mas prorroga o ciclo em um ano

Anúncio

GM fecha acordo de lay-off com redução de salário

Toyota adia retomada da produção para junho

Nos próximos 90 dias, os salários serão pagos pela FCA com um complemento do governo federal, conforme estabelecido na medida provisória 936, que já vem sendo utilizada em outras montadoras, como General Motors, Toyota e Caoa Chery.

No caso da FCA, quem recebe até R$ 2.857,80 terá um desconto de 5%, passando a ganhar 95% da remuneração líquida. Para os salários entre R$ 2.857,81 e R$ 6.535,80 o desconto será de 10%, porcentual que sobe para 15% no caso dos rendimentos na faixa de R$ 6.535,81 a R$ 10.450. Para valores acima, o abatimento é de 20%.

O sindicato de Betim informa ainda que os metalúrgicos da Fiat que estão no grupo de risco para o coronavírus não trabalharão nesse período, nem terão redução salarial.


Foto: Divulgação