Renault e trabalhadores entraram em acordo para a adoção da redução de jornada de trabalho dos funcionários que atuam nas áreas produtivas das quatro fábricas do Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais, PR.

As regras valerão por 30 dias a partir da próxima segunda-feira, 18, e poderão ser prorrogadas por igual período.

Dependendo da demanda, estoque e necessidades de cada planta e linha de produto, a jornada poderá ser reduzida de 50% a 70%.

LEIA MAIS

→Bruno Hohmann a vice-presidência comercial da Renault

Os trabalhadores, contudo, receberão integralmente o salário líquido, já que a montadora completará o valor pago pelo governo, conforme a Medida Provisória 936 do governo federal.

O complexo de fábricas da Renault em São José dos Pinhais congrega perto de 7,5 mil trabalhadores. A forma de redução da jornada se dará também de diferente maneiras, podendo prevalecer dias ou horas, sempre em conformidade com a demanda e quadro de cada segmento.

A Renault, por outro lado, diz que, “para adequar a produção à demanda de mercado”, não renovará contratos temporários de cerca de 300 colaboradores e até antecipará o encerramento.

Anúncio

A empresa, contudo, tomou série de medidas para auxiliar aqueles que serão dispensados em um período socioeconômico particularmente difícil. Já na rescisão, pagará 100% do período faltante para o término do contrato, o dobro do  estipulado pela lei, e manterá plano médico por mais 3 meses para o funcionário e seus dependentes.

Mais ainda: a montadora oferece programa de orientação para recolocação no mercado de trabalho e manterá os interessados em seu banco de talentos  que poderão participar de futuros processos seletivos  da montadora.

LEIA MAIS

→ MP 936 já preservou perto de 2 milhões de empregos

→ Nível de emprego nas autopeças cai 6,2% no trimestre


Foto: Divulgação