O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba informa que trabalhadores da fábrica da Baterias Moura de Itapetininga, no interior paulista, aprovaram proposta de redução de jornada por até 90 dias, como medida de enfrentamento à crise causada pela Covid-19.

A votação on line aconteceu na segunda-feira, 18, e terça, 19. Dos 119 trabalhadores da empresa, 113 votaram e o acordo foi aprovado por unanimidade. O sindicato não revela números sobre a redução da jornada e dos salários, mas garante que os metalúrgicos conquistaram melhores condições e maior remuneração do que estabelece a medida provisória 936, editada pelo governo federal em abril para evitar demissões neste período de crise. A maioria das montadoras e várias autopeças já fecharam acordo com base nessa MP.

O acordo garantiu estabilidade aos funcionários pelo tempo da redução de jornada e o mesmo período após o encerramento do acordo. Segundo o diretor executivo do SMetal, Antonio Welber, com a negociação foi possível manter, inclusive, a manutenção dos benefícios existentes e também do Programa de Participação nos Resultados (PPR).

“Se a empresa vai continuar produzindo durante a pandemia, com o comprometimento de cumprir todas as medidas de prevenção à saúde dos funcionários, nada mais justo que parte do valor recebido pela produção dessas peças seja compartilhada com os trabalhadores”, afirma.

Anúncio

LEIA MAIS

Com os devidos cuidados, FCA retoma produção de automóveis

Acordo define redução de jornada de trabalho de até 70% na Renault

Com o pior resultado desde 1957, Anfavea critica condução da crise

Além da Moura, o SMetal negociou acordos de proteção ao emprego e à renda dos trabalhadores em dezenas de empresas da categoria, beneficiando, segundo a entidade, mais de 10 mil metalúrgicos.


Foto: Arquivo/SMetal