Após 48 dias de paralisação das atividades fabris e a elaboração de um minucioso processo de ações que garantam a saúde de seus trabalhadores, a FCA, Fiat Chrysler Automobiles, está retomando sua produção nas fábricas de automóveis de Betim, MG, e Goiana, PE, nesta segunda-feira, 11. O retorno dos funcionários das fábricas será gradual e o pessoal administrativo segue em regime de home office.

Para ter a certeza de que o retorno se dará dentro das condições de segurança e higiene necessárias neste momento da Covd-19, Antonio Filosa, presidente da FCA para a América Latina, acompanhou pessoalmente, na semana passada, todos os passos da nova jornada dos empregados, desde a viagem no ônibus até o momento da volta para casa.

“Não poupamos esforços e recursos para proporcionar um ambiente seguro e ao mesmo tempo acolhedor para os colegas que estão liderando este momento fundamental da retomada”, destaca o executivo. “As nossas pessoas são o patrimônio mais valioso que temos na FCA, portanto seguiremos absolutamente vigilantes para garantir que a produção seja restabelecida dentro das melhores e mais rigorosas condições de segurança e saúde possíveis”.

LEIA MAIS

FCA projeta mercado até 40% menor e volta a 2019 em três anos

FCA reduz jornada e salários por 90 dias

A partir de experiências de outros países, com testes e adaptações às condições brasileiras, a empresa envolveu profissionais de diversas áreas – sob a liderança dos times de manufatura, meio ambiente, saúde e segurança e recursos humanos – para definir como seria a volta dos trabalhadores.

Segundo a FCA, foi adotado um conjunto de medidas de padrão mundial em sanitização, reorganização de postos de trabalho e adaptação de espaços comuns, visando a uma jornada segura para os 4,3 mil funcionários de Betim e os 1,5 mil da planta pernambucana. As ações envolvem desde a viagem nos ônibus que fazem o transporte para as fábricas até o retorno para casa ao fim do expediente.

Anúncio

Há uma semana, no dia 4, os mesmos processos foram adotados com sucesso na unidade de motores de Campo Largo, PR. O home office segue valendo para todos os escritórios administrativos e regionais da FCA no Brasil. Nas fábricas, a primeira etapa da volta às atividades envolve treinamento de todos os empregados para as alterações efetuadas em layouts e processos, a fim de garantir uma retomada segura e eficiente.

Antes de suspender atividades no dia 23 de março, a FCA produzia 1,6 mil veículos por dia em Betim e 1 mil em Goiana. A ideia, agora, é começar em volume menor e ir aumentando o ritmo ao longo de maio, acompanhando as novas condições da área produtiva e também a demanda do mercado. A FCA está entre as empresas que assinaram acordo trabalhista com base na medida provisória 936 para garantir redução de jornada e retomada gradativa do trabalho.

Medidas de combate ao coronavírus

Dentre as ações adotadas, a empresa destaca a criação de um sistema de autoavaliação e prevenção on line, por meio de aplicativo utilizado pelo próprio trabalhador para sinalizar eventuais problemas de doença, e a contratação de mais ônibus fretados para que haja distância entre os usuários no seu interior.

Além disso, câmeras termográficas passam a realizar medição de temperatura corporal e termômetros extras estão sendo utilizados para avaliar todos que entram nas fábricas. Também estão sendo distribuídas máscaras de proteção facial para os funcionários e terceiros, além de ter sido redobrada a limpeza de áreas comuns e locais de trabalho, com higienização similar à utilizada em hospitais. Nos refeitórios, passam a ser três ao invés de seis pessoas em cada mesa.

A FCA informa, por fim, que se eventualmente um caso suspeito de contaminação for identificado pelo serviço de saúde ou liderança, o portador será imediatamente acolhido pela atenção médica e todo o perímetro de atuação do profissional será isolado para evitar o acesso de outras pessoas. A sanitização será realizada por uma equipe especialmente treinada, apelidada de Swat Covid-19, dotada de equipamentos e produtos de esterilização específicos.


Fotos: Divulgação/FCA/Leo Lara