A Honda Automóveis do Brasil confirmou nesta quarta-feira, 24, que vai parar novamente a produção na fábrica de Sumaré, no interior paulista, por causa da interrupção no fornecimento de semicondutores que afeta a linha do modelo Civic. O recesso está previsto para os dias 1º a 10 de março.

A escassez desses componentes eletrônicos já tinha levado a empresa a suspender as operações em Sumaré entre os dias 5 e 12 deste mês. Segundo nota da montadora, a paralisação em duas etapas foi necessária por causa “dos impactos da pandemia da Covid-19 nas cadeias globais de suprimento, que ocasionaram um desequilíbrio entre oferta e demanda de semicondutores, afetando toda a indústria”.

No comunicado, a Honda reforça que está adotando todas as medidas possíveis para minimizar os impactos a sua cadeia de valor, “bem como qualquer inconveniente para o consumidor final”.

Desde o final do ano passado a Anfavea vem alertando para a falta de algumas matérias-primas e componentes, que tem gerado gargalos na produção das montadoras de automóveis e caminhões e um forte investimento em logística para administrar as linhas de montagem no dia a dia e, assim, evitar paralisações mais prolongadas.

Anúncio

LEIA MAIS

Gargalo com falta de peças se intensifica no setor automotivo

Autopeças: exportações crescem, importações caem.

No caso da Honda, a produção de motos em Manaus, AM, chegou a ser suspensa no mês passado por causa da falta de peças. Outras fabricantes daquela região também foram afetadas pelo mesmo problema e paralisaram operações por uma a duas semanas.

A escassez de componentes eletrônicos, produzidos principalmente em países asiáticos, vem afetando a indústria automotiva mundialmente e teve a se agravar neste primeiro trimestre, segundo já admitiram executivos das montadoras aqui instaladas.


Foto: Divulgação/Honda