Demanda pela carga transportada pelo modal rodoviário registrou mais crescimento semanal, reduzindo a expressiva queda na movimentação de mercadorias observada desde o início da pandemia. A distribuição de mercadorias no País na semana de 8 a 14 de junho registrou um recuo de 36,8%, enquanto nos sete dias imediatamente anteriores anotou retração de 38,2%.

Os dados são provenientes de pesquisa semanal encabeçada pela NTC & Logística, associação que representa empresas transportadoras de carga, por meio seu departamento de custos operacionais. O acompanhamento é feito desde 16 março junto a representantes de empresas do setor de diversos porte e em todas regiões do País.

Cargas fracionadas têm maior aumento na demanda

Na consolidação dos índices da primeira quinzena de junho, o declínio chegou a 35,07%, frente a uma série que apresentou queda da 45,2% ao longo das últimas 13 semana.

Por segmento, a carga fracionada foi a mais beneficiada com o aumento de demanda, com queda de 31,3%, porém atenuada com 7 pontos porcentuais a menos em relação a quinzena anterior. Na carga lotação, índice de retração alcançou 37%, uma melhora de 3,5 pontos porcentuais.

Anúncio

“Desde a primeira semana de junho temos visto uma melhora na quantidade transportada, ainda que o declínio seja significativo”, avaliou Lauro Valdivia, assessor técnico da associação, durante apresentação online dos resultados da pesquisa Impacto do Coronavírus no TRC. “O levantamento indica que a ponta está puxando o setor, em especial devido recentes abertura do comércio, por isso a carga fracionada foi mais beneficiada.”

O técnico entende que o aumento do consumo aqueça a cadeia de produção e, se uma nova onda de contágio da covid-19 não interromper o processo, até o fim do ano o setor volte à normalidade do período anterior à crise.

LEIA MAIS

→Movimentação rodoviária de carga tem queda menor  


Foto: Divulgação