Em dez dias, a Fiat contabilizou mais de 6 mil unidades vendidas da nova geração da Strada. No mix da oferta, a fabricante aponta que 40% do volume negociado foram da versão topo de linha Volcano, configurada para atender ao público que busca versatilidade de picapes para lazer.

O pequeno utilitário da marca ocupa a liderança do segmento de picapes pequenas há duas décadas. Ainda que em tempos de mercado pouco comprador e com a nova geração anunciada como novidade da Fiat no início do segundo trimestre, a linha anterior fechou o primeiro semestre com 59% das vendas na categoria, com mais de 22,8 mil unidades licenciadas, de acordo com o relatório da Fenabrave.

Apenas como comparação, a Volkswagen Saveiro, a rival direta, acumulou no período 12,4 mil emplacamentos ou 32% do mercado.

Perspectivas de crescimento

O resultado alcançado nos poucos dias após início das vendas representou quase o mesmo desempenho de janeiro, antes da pandemia, portanto, quando a picape vendeu perto de 5,5 mil unidades. A Fiat aposta que com a ampla lista de equipamentos de série associado a preço competitivo, a partir de R$ 63,590, a nova Strada não só preserve a liderança como também avance em participação.

Anúncio

“A meta é aumentar em 20% a comercialização mensal do veículo, mas a procura superou nossas expectativas”, avalia Herlander Zola, diretor do Brand Fiat e Operações Comerciais Brasil. “O resultado até agora mostra um ritmo quatro vezes maior que a venda média da picape. Temos confiança que conseguiremos superar as 30 mil unidades até o fim do ano.”

A nova geração da Strada é oferecida em três versões – Endurece, Freedom e Volcano – nas configurações de cabines estendida e dupla, exceção para a topo de linha, apenas com quatro portas. A linha anterior segue com a Hard Working, que foi reposiciona com preço menor, de R$ 61.590.

LEIA MAIS

→Do 147 à nova Strada, 44 anos da Fiat no Brasil

→Nova Fiat Strada chega para preservar liderança


Foto: Fiat/Divulgação