Na contramão do setor automotivo, que tem congelado ou postergado investimentos por causa da pandemia da Covid-19, a Nissan anunciou nesta quinta-feira, 20, aporte de US$ 130 milhões no Complexo Industrial de Santa Isabel, na província de Córdoba, Argentina, onde é produzida a picape Frontier, também vendida no mercado brasileiro.

O investimento visa aumentar o índice de nacionalização do modelo, com o desenvolvimento de novos fornecedores locais, além de incorporar novas tecnologias ao produto para atender as normas de emissões de países da região. Os US$ 130 milhões se somam aos US$ 600 milhões anunciados em 2015, quando foi dada a largada do projeto industrial da marca em Córdoba, que culminou com o início da produção da picape Frontier em 31 de julho de 2018, para abastecer os mercados argentino e brasileiro.

“Há 2 anos iniciamos a produção da Frontier na Argentina como parte do nosso ambicioso projeto de crescimento naquele mercado e em toda a região”, comenta o chairman da empresa na América Latina, Guy Rodriguez, que compartilhou com o presidente da Argentina, Alberto Fernandez, o compromisso da marca japonesa com a expansão industrial no país.

LEIA MAIS

Nissan lança loja virtual para venda do Drive-V 1.0

Frontier já está disponível em quatro versões

Anúncio

Com Frontier, Nissan inicia operações na Argentina

O executivo destacou que, apesar dos desafios que todo o setor está enfrentando no momento por causa da pandemia da Covid-19, a Nissan continua apostando fortemente na Argentina. “Esse novo investimento contribuirá para o fortalecimento de nossa base de fornecedores locais e a expansão de nossos mercados de exportação no futuro”.

O projeto argentino também tem por objetivo fortalecer o plano de expansão das vendas da picape no mercado brasileiro. De acordo com dados da Fenabrave, foram emplacadas 4,2 mil unidades da Frontier no Brasil no acumulado de janeiroa julho deste ano, ante as 4,5 mil mesmo período de 2019.

A queda de 6,6% é bem inferior à da média do mercado de automóveis e comerciais leves, que ficou próxima de 38%. Com isso, a participação do modelo da Nissan no segmento de picapes grandes subiu de 3,9% para 5,1%, segundo classificação da Fenabrave.

“Produzida em Córdoba em parceria com a Renault Argentina, a Frontier é uma combinação de mais de 80 anos de experiência da Nissan na produção de veículos comerciais leves em todo o mundo e de anos de pesquisa a respeito das condições de rodagem específicas da América Latina”, conclui a empresa no material de divulgação do novo investimento.


Foto: Divulgação/Nissan