A FCA e o Grupo PSA alteraram alguns termos do acordo de fusão 50/50 para criar a Stellatins, o que virá a ser a quarta maior fabricante de automóveis e comerciais leves do mundo. Segundo o comunicado, as mudanças levam em conta os impactos no caixa das empresas devido à pandemia, “ao mesmo tempo em que preservam o valor econômico e o equilíbrio fundamental do Acordo de Fusão original.”

Nos novos termos, a FCA reduziu de € 5,5 bilhões para € 2,9 bilhões os dividendos especiais a serem distribuídos aos acionistas antes da conclusão da fusão. Por outro lado, a participação de 46% do Grupo PSA na Faurecia será fatiada entre todos os acionistas da Stellantis logo após o negócio ser aprovado e finalizado.

Na prática, os atuais acionistas de ambas as fabricantes receberão por volta de 23% do capital da Faurecia, empresa do setor de autopeça cujo valor de mercado é superior a € 5,8 bilhões, enquanto a Stellantis terá € 2,6 bilhões de liquidez adicional.

Anúncio

De acordo com o comunicado, também as estimativas de sinergias anuais que serão geradas com a criação da Stellantis foram elevadas de maneira significativa, de € 3,7 bilhões para mais € 5 bilhões. Os demais termos do acordo, firmando em dezembro do ano passado, permanecem inalterados, bem como a previsão de implementação da fusão para o fim do primeiro trimestre de 2021.

LEIA MAIS

→FCA e PSA formarão o grupo Stellantis


Foto: Groupe PSA/Divulgação