Além de anunciar à volta a rentabilidade este ano, a Volkwagen América Latina divulgou novo plano de investimento da ordem de R$ 7 bilhões para o período 2022-2026, que envolve nova família de modelos compactos, além de avanços em digitalização e descarbonização. O primeiro veículo da nova leva de produtos será o Polo Track (foto acima), que chega ao mercado brasileiro em 2023.

Também estão nos planos das montadoras a expansão do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de biocombustíveis, como estratégia complementar à ofensiva global de eletrificação da Volkswagen, e o reforço da base de fornecedores locais para reduzir a dependência de componentes vindos de fora.

Sem revelar há quantos anos a Volkwagen vinha tendo prejuízo na região, o presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si, fez questão de enfatizar o resultado positivo da empresa este ano, fundamental, segundo ele, para bancar os novos investimentos, sem ajuda da matriz.

“O aporte reforça a grande importância do mercado latino-americano para a Volkswagen”, comentou o executivo, destacando três fatores como fundamentais para o sucesso da empresa: “A excelente produtividade de nossas fábricas, alcançada com o apoio dos acordos com os sindicatos de trabalhadores fechados no ano passado, o destacado desempenho de toda a equipe e nosso intenso foco nos desejos de nossos clientes latino-americanos”.

Por ocasião do evento de divulgação do novo aporte realizado no final da manhã desta sexta-feira, 5, o CEO global da marca Volkswagen Ralf Brandstätter (foto abaixo), fez questão de mandar uma mensagem, destacando a importância da região e o consistente programa de reestruturação realizado nos últimos dois anos.

Volkswagen Polo Track

Anúncio

“Estamos agora conduzindo a implementação da nossa estratégia Accelerate, com um grande programa de investimentos, fortalecendo nossa posição competitiva na região e nos preparando assim para atingir uma lucratividade sustentável”, frisou Brandstätter.

Ao contrário do investimento também de R$ 7 bilhões anunciado em 2017, quando a montadora adiantou que faria 20 lançamentos até 2020, desta vez não foi divulgado um número específico das novidades que estão por vir. Di Si comentou que na ocasião e empresa tinha um portfólio envelhecido, o oposto do que ocorre hoje.

O executivo admite que em função dos avanços tecnológicos em segurança, eficiência energéitca e digitalização, não é mais possível oferecer produtos no segmento de entrada com preços acessíveis como os de antes. Mas disse que, apesar do avanço dos SUVs na região, há espaço ainda importante para os carros compactos.

O Polo Track será baseado na plataforma MQB, que propicia redução de custos de desenvolvimento e envolverá família de três ou quatro modelos. Sua produção será na fábrica de Taubaté, SP, onde foi feito acordo com os empregados no ano passado em bases similares aos realizados com os três outros sindicatos onde a empresa mantém atividades fabris no Brasil.

Além da expansão da linha de produtos, o aporte programado para os próximos cinco anos envolve uma nova geração de sistema de informação e entretenimento – o VW Play -, que permitirá aos motoristas se manterem conectados, expandindo a conectividade para fora de seus veículos e ao mesmo tempo acrescentando novos itens e serviços.


Fotos: Divulgação/VW