Apesar de a maioria estar operando em um turno e com produção reduzida, o retorno das atividades da Honda em suas duas fábricas do interior paulista marcará a retomada de todas as fabricantes de automóveis no País. A maioria tinha paralisado atividades na segunda quinzena de março por causa da pandemia da Covid-19 e a volta foi se dando gradativamente a partir de maio.

A princípio a Honda voltaria no dia 25 de junho, mas optou por esticar a paralisação até esta semana sem informar os motivos. Na época, revelou apenas que já estavam previstas férias coletivas no período de 29 de junho a 18 de julho para a instalação de novos maquinários e que até 25 de junho estava em vigência acordo de suspensão do contrato de trabalho, nos termos da medida provisória 936.

LEIA MAIS

Retomada não deve ser em “V”, diz CEO da Volkswagen

VW vai negociar extensão das medidas de flexibilização de trabalho

Anúncio

Toyota, Ford, Nissan e PSA retomam produção

A fabricante japonesa já tinha retomado a produção de componentes de motores, para atendimento a negócios na área de exportação, mas a fabricação de automóveis só será retomada agora. Atualmente, só as fábricas de São Bernardo do Campo, SP, da Mercedes-Benz e da Volkswagen estão operando em dois turnos. As demais trabalham em um único turno, o que também ocorrerá nas plantas da Honda de Sumaré e Indaiatuba.

Suas linhas de produção serão reativadas gradualmente com todos os novos protocolos de saúde e segurança. Dentre os diversos procedimentos, estão previstas avaliação de saúde com medição de temperatura no acesso à fábrica, horários diferenciados e intercalados para evitar aglomerações, reorganização de espaços e distanciamento mínimo em locais como ônibus fretados, linhas de produção, refeitórios e salas de reunião.


Foto: Divulgação/Honda