Com o objetivo de tornar a empresa mais enxuta e competitiva, a Toyota decidiu transferir a sua sede administrativa de São Bernardo do Campo, no Grande ABC, para Sorocaba, no interior paulista.

A empresa anunciou, paralelamente, a abertura de PDV, Programa de Demissão Voluntária, exclusivamente para o pessoal dos escritórios de todo o País, visando a uma redução de 300 colaboradores. As adesões podem ser feitas até o final de outubro.

A transferência foi comunicada para o SMetal, Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, em meados deste mês. A Toyota confirmou que o processo de mudança será iniciada em janeiro de 2021 e concluído até o meio do ano. A planta de São Bernardo vai continuar produzindo normalmente, mas o Sindicato do ABC está preocupado com o seu futuro.

A entidade negociou acordo com a montadora, que foi aprovado nesta segunda-feira, 28, garantindo 12 salários e manutenção do plano de saúde por um ano para quem aderir ao PDV. O programa, segundo o sindicato, está aberto inclusive para aqueles que serão transferidos de planta e ainda para os aposentados que atuam na produção.

Para os funcionários que mudarão de localidade, o acordo definiu o pagamento de dois salários no mês da transferência e 2,4 adicionais àqueles que optarem por mudar seu domicílio para a cidade. Os que ficarem, terão transporte fretado de São Bernardo a Sorocaba por dois anos. A negociação também garantiu um ano de estabilidade a todos os transferidos.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, disse ter recebido com perplexidade a informação de que a Toyota transferiria suas atividades corporativas da planta de São Bernardo. “No anúncio, a direção da montadora disse que a mudança envolveria 600 trabalhadores e que outros 300 serim desligados”.

A partir das negociações, o número de transferidos foi reduzido de 600 trabalhadores para 490 e a meta de corte em São Bernardo recuou de 300 para 120. De acordo com Santana, ficou acertado ainda que sindicato e empresa discutirão planos para viabilizar novos produtos para a planta.

Já presidente do SMetal, Leandro Soares, definiu a mudança da sede como positiva para a região. “A sede administrativa é o cérebro da empresa e a vinda para Sorocaba só reforça a importância que a planta da cidade conquistou ao longo dos anos. Além disso, teremos a geração de mais ou menos 600 empregos, que é uma excelente notícia, especialmente para o momento de crise no qual passamos”.

Anúncio

Segundo o sindicalista, o PDV será destinado apenas para cargos como diretoria, gerência e supervisão, sem risco, portanto, de haver demissões no chão de fábrica. “O Sindicato, como sempre, vai buscar as melhores condições para aplicação da medida, fazendo com que os trabalhadores não sejam prejudicados”.

LEIA MAIS

Trabalhadores aceitam jornada reduzida na Toyota de Sorocaba

Toyota traz para o Brasil empresa de compartilhamento KINTO

Soares destaca, ainda, que o SMetal tem buscado continuamente investimentos para a planta da Toyota na cidade, que foi inaugurada em 2012 e hoje emprega cerca de 2 mil trabalhadores. Lá são produzidos o Etios e do Yaris.

Em 2019, depois que a empresa encerrou o terceiro turno e demitiu 300 trabalhadores, o presidente e o secretário geral do sindicato, Silvio Ferreira, foram até o Japão discutir a ampliação da produção em Sorocaba, “o que acabou gerando o anúncio de um investimento de R$ 1 bilhão na implantação da plataforma TNGA, que permite a fabricação de diversos veículos da empresa”, lembra Soares..

Com essa nova plataforma, Sorocaba será responsável pela fabricação do novo SUV compacto da montadora, que tem previsão de início de vendas já para o ano que vem. “Para iniciar a produção desse novo veículo, a Toyota prevê a contratação de 300 novos trabalhadores”, informa o sindicalista.


Foto: Divulgação/Smetal