A indústria de pneumáticos vendeu volume próximo a 5,6 milhões de unidades em setembro, o que representou crescimento de 7,8% sobre agosto e de 6,8% sobre o mesmo mês de 2019, o que significa que o setor já retomou níveis mensais de antes da pandemia.

As perdas do período crítico da quarentena, no entanto, ainda não foram recuperadas, conforme balanço divulgado nesta sexta-feira, 9, pela Anip, Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos.

No acumulado dos primeivos nove meses de 2020, foram comercializadas 35,94 milhões de unidades, retração de 19% em relação às 44,3 milhões do mesmo período do ano passado. É um índice expressivo, mas abaixo do verificado na indústria automotiva, cujas vendas recuaram 32%, o que indica uma recuperação maior no mercado de reposição.

O segmento de pneus para automóveis registrou alta de 9,6% em setembro com relação a agosto e de 4,5% sobre o mesmo mês de 2019. Nesse comparativo, o volume destinado às montadoras caiu 11,8%, mas o mercado de reposição cresceu 12,3%. No acumulado do ano, o segmento de carros indica retração de 24,6%.

Anúncio

LEIA MAIS

Agosto foi o melhor mês da indústria de pneus em 2020

No caso dos comerciais leves, houve alta de 17% em setembro sobre o mesmo mês do ano passado. O resultado, segundo a Anip, também é explicado pelo mercado de reposição, cuja alta de 33,7% foi sufciente para se sobrepor à queda de 9,3% nas vendas para as montadoras.  O acumulado do ano até o momento para esse segmento está 23,7% menor do que no mesmo período de 2019.

O segmento com desempenho menos negativo é o de veículos pesados, que inclui caminhões, ônibus e implementos. Além de registrar alta de 15,7% no mês passado em relação a setembro de 2019, no acumulado do ano a queda é de apenas 8,5% no caso dos pesados.