A Hyundai e a Ineos decidiram trabalhar em conjunto na produção e fornecimento de tecnologias que têm o  hidrogênio com fonte de energia, seja para setores público ou privados.

Para isso, assinaram nesta segunda-feira, 23, acordo que estipula avaliação da célula de combustível da Hyundai no utilitário esportivo Ineos Grenadier 4×4, a primeira investida da gigante britânica de produtos químicos no setor automotivo.

O sistema de célula de combustível da Hyundai já se provou confiável e eficaz no Hyundai Nexo, avalia a montadora coreana, que começou a produzir veículos elétricos com células em 2013.

Em 2018, o Hyundai Motor Group anunciou o Fuel Cell Vision 2030, seu plano de longo prazo para aumentar a produção anual de células de combustível de hidrogênio para 700 mil unidades até 2030.

LEIA MAIS

→ Hyundai faz entrega comercial de caminhões a hidrogênio

→ Daimler se prepara para produzir células de combustível

Anúncio

A parceria considera que, no futuro, com o aumento da demanda por veículos com a tecnologia, a Hyundai terá na Ineo o suporte de abastecimento imprescindíveis para o desenvolvimento do ecossitema ao redor do combustível, que tem entre seus grandes desafios a estrutura e custo de armazenamento.

“A mudança da Ineos para o desenvolvimento de um veículo elétrico de célula de combustível e ecossistema de hidrogênio marca mais um marco para o transporte sustentável e limpo”, disse Saehoon Kim, vice-presidente sênior  da Hyundai Motor Company.

A Ineos, maior operadora da Europa de eletrólise — tecnologia crítica para produção de hidrogênio para geração de energia, transporte e uso industrial —, produz 300 mil toneladas de hidrogênio por ano, principalmente como subproduto de suas operações de produtos químicos.

O Grenadier, na verdade um Land Rover Defender original, será fabricado em uma antiga fábrica da Mercedes-Benz na França e não no Reino Unido, como inicialmente planejado, já no a partir do final do ano que vem. As primeiras unidades serão negociadas na Europa em 2022.


Foto: Divulgação