Reflexo do bom momento vivido pelo agronegócio, o segmento de tratores e máquinas agrícolas segue trajetória de alta que começou ainda no ano passado, apesar de todas as dificuldades provenientes da Covid-19. No acumulado do primeiro trimestre foram comercializadas 10.855 unidades, uma alta de 22,3% sobre as 8.850  vendidas no mesmo período do ano passado.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 4, pela Fenabrave, com base em levantamento feito junto aos fabricantes. Esse levantamento tem sempre um mês de defasagem porque as máquinas agrícolas não são emplacadas, como acontece com os veículos leves, pesados e motocicletas.

As vendas do segmento atingiram 4.164 unidades em março, expansão de 15,5% sobre fevereiro, quando foram negociadas 3.606 unidades, e de 11,5% em relação ao mesmo mês do ano passado (3.728).

“O cenário permanece positivo para o agronegócio e, considerando o bom desempenho das commodities, a demanda de tratores e máquinas agrícolas deve se manter aquecida nos próximos meses”, comenta o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Anúncio

LEIA MAIS

Mercado de máquinas agrícolas e rodoviárias no azul

Fornecimento de peças ainda não está normal, admite New Holland

Case IH lança trator 100% conectado

Por causa de uma fabricante do setor que deixou de ser associada, a Anfavea parou de divulgar os dados sobre máquinas agrícolas e rodoviárias este ano. No ano passado, quando eles ainda eram computados pela entidade, o segmento foi o único representado pela associação das montadoras a encerrar o período com crescimento. Suas vendas superaram 47 mil unidades, o que representou elevação de 7,3% sobre as 43,8 mil de 2019.


Foto: Divulgação/CNH Industrial