O transportador de carga continua no balcão de negócios em busca de caminhões. Conforme balanço da Fenabrave apresentado na quarta-feira, 2, no mês passado as entregas somaram 11,3 mil unidades, volume 15,7% superior ao volume de abril, quando registrou 9,8 mil licenciamentos.

No confronto com maio de 2020 (4,7 mil), o crescimento superou 140%, índice que evidencia uma distorção devido aos impactos provocados pela pandemia no ano passado, marcado pelo retorno da produção em ritmo menor e medidas mais severas de restrições.

No acumulado do ano, os emplacamentos somaram perto de 47 mil caminhões, volume que representou alta de 63,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

Para Alarico Assumpção Júnior, o resultado até agora “demonstra a melhora da economia, o que é corroborado pelo Índice de Confiança da Indústria Automotiva que, segundo levantamento (ICEI – Índice de Confiança do Empresário Industrial), está entre os 5 maiores do ranking nacional. No comércio também estamos confiantes e notamos que se a produção de caminhões fosse maior, teríamos mercado para absorver.”

Anúncio

Ônibus – No segmento de transporte de passageiros, o mercado recebeu em maio quase 1,9 mil ônibus, volume 35,5% superior ao do mês anterior, de 1,4 mil unidades. Na comparação com maio de 2020, a alta foi de 130,7%, resultado no qual deve se considerar a base significativamente baixa, de apenas 822 emplacamentos.

De janeiro a maio, os licenciamentos de ônibus alcançaram 7,5 mil unidades, crescimento de 14,8% sobre o mesmo acumulado do ano passado de 6,5 mil veículos. “As vendas de ônibus, ainda que tenham melhorado, continuam afetadas pela pandemia da Covid-19, que impactou na circulação e viagens das pessoas”, finaliza o presidente da Fenabrave.

LEIA MAIS

Venda de veículos pesados arrefece com queda de 9% em abril