O Grupo BMW desenvolve fase final de testes do seu novo veículo elétrico com sistema de propulsão alimentado por célula de combustível de hidrogênio. A avaliação das unidades já em pré-produção envolve rodagem em condições normais de ruas e estradas europeias para simular todas as possibilidades a serem enfrentadas no momento em que essa tecnologia chegar aos produtos finais da marca.

Os protótipos BMW i Hydrogen NEXT, sem qualquer emissão de CO2, utilizam o hidrogênio como combustível primário que, por sua vez, é convertido em energia elétrica dentro de uma célula de combustível. Essa tecnologia tem potencial de longo prazo para complementar os motores de combustão interna, sistemas híbridos plug-in e veículos elétricos a bateria, dentro da estratégia de diversificação do grupo.

“A tecnologia de célula de combustível de hidrogênio pode ser uma opção atraente para trens de força sustentáveis, especialmente em classes de veículos maiores”, comenta Frank Weber, membro do Board da BMW AG. “É por isso que o teste de estrada de veículos em estágio final, próximos de serem produzidos, com um trem de acionamento de célula de combustível de hidrogênio, é um marco importante em nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento”.

Anúncio

LEIA MAIS

Nissan vê potencial para exportar tecnologia que utiliza bioetanol]

Aplicativos BMW: do Brasil para o mundo.

Como o tanque de combustível de um modelo de motor de combustão convencional, o tanque de hidrogênio do BMW em fase final de testes pode ser abastecido entre três e quatro minutos, “garantindo uma autonomia de várias centenas de quilômetros em todas as condições climáticas”, de acordo com a montadora.

O objetivo central das avaliações em curso é o ajuste fino do software que controla todas as funções de direção e operação dos protótipos. O sistema de célula de combustível, tanques de hidrogênio, bateria de buffer de desempenho e unidade de controle central do veículo foram previamente testados individualmente e em conjunto, em bancadas de teste. Agora, nesse estágio, a ideia é confirmar esses resultados prévios em ruas e estradas.


Foto: Divulgação/BMW