Exatos dois anos após o início das vendas do elétrico Leaf no Brasil, a Nissan se prepara agora para acelerar as suas vendas a partir da expansão do número de pontos de venda e da maior oferta do produto no Pais. Ante as sete concessionárias atuais que comercializam o modelo, serão 44 a partir de setembro, cobrindo todas as regiões do País.

Os planos são ousados e enquadram-se no que a Nissan define como a 2ª fase de eletrificação da marca no Brasil. A meta é vender 500 Leaf no atual ano fiscal – abril de 2021 a março de 2022 -, ante os 200 comercializados desde o seu lançamento em julho de 2019, conforme revela Tiago Castro, diretor sênior de marketing e vendas da montadora no Brasil.

“Esse volume que esperamos para o Leaf equivale ao total de carros elétricos vendidos no País por todas as marcas no ano passado”, destaca Castro.

Os novos pontos de venda estarão distribuídas por 15 estados e o Distrito Federal, incluindo cidades como Manaus, AM, Salvador, BA, Fortaleza, CE, Cachoeiro de Itapemirim, ES, Cuiaba, MT, Recife, PE, Foz do Iguaçu, PR, e Caxias do Sul, RS. Só em São Paulo serão oito cidades, incluindo a capital. Antes a cobertura limitava-se às regiões Sul e Sudeste, mais Distrito Federal.

A divulgação da 2ª fase do plano de eletrificaçao foi feita nesta segunda-feira, 29, em evento online que teve também a participação do presidente da Nissan Mercosul e diretor geral Brasil, Airton Cousseau, que admitiu planos da empresa de trazer novos modelos eletrificados para o País.

“Não tem nada definido, mas estamos avaliando no momento trazer veículos híbridos. E para o futuro também poderemos considerar o Ariya, um elétrico que tem despertado interesse junto aos nossos concessionários”.

Anúncio

O objetivo da Nissan ao mais do que quintuplicar o número de pontos de venda do Leaf é ajudar a consolidar a mobilidade elétrica no Brasil e dar oportunidade a mais brasileiros conhecerem e terem acesso ao produto. Segundo o diretor de marketing, todas as concessionárias envolvidas no projeto estão sendo preparadas para ter o atendimento completo, com vendas e serviço de oficina.

“Em setembro, todas terão completado os treinamentos específicos para atender aos clientes de carros elétricos, feito as adaptações necessárias em suas infraestruturas e recebido as ferramentas e equipamentos para garantir a manutenção seguindo o padrão global da Nissan”, explica Castro.

Segundo executivo, os dois anos de venda do Leaf no mercado brasileiro foram importantes para a marca entender melhor as características dos clientes do segmento de elétricos, ainda em formação no Brasil. Além de ampliar a rede, a Nissan pretende também contribuir para ampliar a infraestrutura de recarga no País, desmistificar dúvidas sobre a utilização e funcionamento dos veículos e formar novas parcerias para desenvolver localmente tecnologias ligadas à eletrificação.

A Nissan escolheu a data de 18 de julho, quando foi iniciada a venda do Leaf no Brasil, como o E-Day, o Dia da Mobilidade Inteligente no Brasil. Dentre as açõe desenvolvidas nos últimos dois anos, a empresa destaca a adesão ao projeto de solução de mobilidade urbana vec Itaú e as parcerias com a Movida, para aluguel do Leaf, e com a Univesidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com o objetivo de estudar soluções para o futuro das baterias usadas de veículos elétricos.


Foto: Divulgação/Nissan