A confirmação de que a Ford não pretende negociar a Troller e que a produção de veículos estará definitivamente encerrada no fim de setembro, coloca fim a uma marca nacional de sucesso em seu nicho de atuação, mas que, a exemplo de outras criadas por iniciativa local, sucumbiu às estratégias de uma montadora global.

A Troller se dedicou exclusivamente a produzir seu “jipão” T4 desde sua fundação, em 1995. A exceção foi a fracassada experiência com a picape Pantanal, que teve 77 negociadas em 2006 e que posteriormente foram recompradas pela Ford após constatação de problemas estruturais.

LEIA MAIS

→ Mais barato da linha, Territory foi o carro Ford mais vendido em julho

→ Ford fecha braço financeiro no Brasil e Argentina

Na verdade, a compra da Troller pela Ford, em 2007, tem muito pouco a ver com o segmento ou os produtos da marca cearense. Serviu mesmo para assegurar as vantagens de regime tributário diferenciado do Nordeste e que beneficiariam também a unidade de Camaçari, BA, base produtora do EcoSport e Ka, os carros de volume da Ford. A planta de Horizonte, CE, e os veículos entraram quase como bônus na transação.

Assim como o término dos modelos baianos, o fim da produção da Troller já havia sido anunciado no começo do ano pela Ford. A esperança dos cerca de 470 funcionários da unidade, porém, é que a montadora vendesse os ativos e a marca para algum grupo, perimitindo a continuidade da produção do T4, que goza de muito prestígio entre os aficionados de veículos 4×4 e trilhas off road.

Anúncio

Diversas negociações foram encaminhadas, mas a decisão da montadora de não concluir qualquer negócio e “desaparecer” com a marca, surpreendeu até o governo do Ceará, que atuou como mediador de trattivas e já comemorava um desfecho feliz para a planta localizada a cerca de 40 quilômetros da capital Fortaleza..

Em comunicado emitido na segunda-feira, 9, além de admitir que a produção não teria continuidade, a Ford infiormou que Horizonte continuará a produzir peças e componentes até novembro, de forma a garantir a reposição para a frota circulante.

A seguir, a nota da empresa enviada aos funcionários:

“Conforme anunciado em 11 de janeiro e seguindo o compromisso de sermos transparentes com nosso time, hoje estamos confirmando o encerramento da produção dos veículos Troller até o final de setembro.

A produção de peças terá continuidade até o final do mês de novembro, com o objetivo de garantir a disponibilidade de peças aos clientes da Troller.

Informamos, também, que continuaremos com a venda dos nossos ativos (terreno e máquinas), no entanto a produção dos veículos Troller não terá continuidade.

Já entregamos uma carta ao nosso sindicato, que foi convidado para o início das negociações nesta terça-feira, 10 de agosto. Nenhum desligamento está sendo realizado neste momento e nossa intenção é chegar a um acordo justo e viável, assegurando que a relação de trabalho com a Troller seja encerrada de maneira adequada, garantindo a todos os nossos empregados que seus direitos serão respeitados.

Excepcionalmente, a produção de hoje (9/8) foi encerrada às 15h00 e será retomada normalmente a partir de amanhã (10/8), quando iniciaremos as negociações.”


Foto: Divulgação